Início > biologia, Ciência, Gerais, Off Topic > O pavor de acordar e não se mover – paralisia do sono

O pavor de acordar e não se mover – paralisia do sono

image_pdfimage_print

O que me motiva a escrever esta postagem é um fenômeno plenamente natural, que acontece com muito mais gente do que pensamos, mas que pode influenciar profundamente no que algumas pessoas acreditam.

O sonho - Pierre-Cécile Puvis de Chavannes

O sonho - Pierre-Cécile Puvis de Chavannes

Vez ou outra, existem ocasiões no qual após acordar tento me mexer, e opa, não consigo mover quase nenhum músculo.

A situação já me ocorreu tanto que tento não me apavorar, mas nas vezes que por ventura tentei mover-me impulsivamente, fracassei em quase todas tentativas (poucas vezes consegui, ou imagino ter conseguido mover um único músculo).

E para piorar mais e mais, todas as vezes foram permeadas acontecimentos estranhos. Como ver alguém no meu quarto. Ouvir alguém arrastando uma cadeira de lá pra cá e não conseguir ver a pessoa etc.

Esta condição, normal, que acontece com cerca de 50% das pessoas, chama-se “paralisia do sono”. Algumas ocorrências podem ser bem leves, mas outras podem causar pânico na pessoa que a viveu até bem como influenciar sua conduta religiosa.

O Pesadelo - Heinrich Füssli

O Pesadelo - Heinrich Füssli

Estes efeitos acontecem porque a paralisia do sono não é meramente uma paralisia temporária dos seus músculos, ela vem acompanhada de alucinações hipnagógicas, como se os seus sonhos pudessem se fundir na realidade enquanto você não consegue se mexer.

A primeira vez que ví uma explicação séria a respeito foi, tanto num documentário que assisti, a muito tempo atrás (creio que na Discovery Channel, não lembro-me bem), quanto com as explicações também dadas por Carl Sagan (em seu “O mundo assombrado pelos demônios“, já comentado neste blog). Por este motivo não me assusto com tais fenômenos, como se fossem algo místico.

Entretanto algumas pessoas têm experiências bem fortes, a ponto de terem suas vidas mudadas. Existem relatos de pessoas que dizem terem sido abduzidas por alieníginas ou ainda outras que vivenciaram projeção para fora do corpo: muitos relatos estão associados ao fenômeno, plenamente natural, da paralisia do sono.

Inclusive passei por uma situação dessas a pouco tempo e fui reler a respeito (embora a ocorrência mais incrível que passei já data quase dez anos). Esbarrei no artigo “Assombração, demônio ou ciência?” de Gabriel Cunha e conferi como realmente é algo comum, visto a quantidade de pessoas que comentaram seu artigo. Sim, muita gente passou por este fenômeno, e embora possa assustar é algo plenamente comum. Vale a pena vocês visitarem o artigo mencionado e conferirem mais a respeito.

O fenômeno é causado, entre outras coisas, pela privação de sono e sono irregular (como foi meu último caso).

E a vivência das alucinações hipnagógicas são tão fortes que muitas vezes pode nos deixar atônitos ou influenciar a visão de mundo de algumas pessoas.

Portanto, por mais assustadora que seja o sonho, as alucinações, ou ainda o fato de estar paralisado, é bom saber que não se passa de uma condição normal, temporária e que muitas das vezes, para a maiorira das pessoas, é causada por hábitos de sono irregular.

Não que eu queira menosprezar as experiências que ganham conotação mística/religiosa para algumas pessoas; mas é, realmente bom saber, que o nosso cérebro pode nos pregar algumas peças. E por isso antes de darmos significados, que por vezes são estratosféricos, é bom ter em mente que existe um fenômeno biológico que explica muito bem tal condição(1).

Arnaldo Vasconcellos

UPDATE: A paralisia do sono é uma condição temporária, geralmente causada por sono de baixa qualidade ou irregular. O fato de ser uma condição temporária não a torna algo anormal. Estima-se que 50% da populaçao tem, teve ou terá episódios com a paralisia do sono. Ela não é uma doença, no sentido estrito do termo. Portanto caso você tenha paralisia do sono, tente verificar se seu sono está sendo de baixa qualidade, ou se alguma outra coisa está interferindo. No momento em que tiver paralisia do sono, não se deixe assustar pelas experiências incríveis, veja que é um estado de sono e tente relaxar e dormir.

Agora, caso você tenha com frequência e as alucinações estão dificultando sua vivência e causando algum tipo de incômodo; o melhor a fazer é procurar um médico para verificar a sua qualidade de sono e verificar se o seu caso foge ou não da grande maioria dos casos que são considerados normais. Procure um especialista de sono e tenha noites mais felizes.

NOTA:

(1) – O filósofo Rene Descartes trabalhou em seu “Discurso do Método” momentos em que não podemos dicernir o sonho do real. Descartes não estava a falar da paralisia do sono, tema deste artigo, mas abordou algo muito interessante: o quanto nossos sentidos podem nos enganar. Por este motivo, apesar dele estar a falar do sono comum a nos confundir com o real, impedindo uma garantia entre o que é real e o que é sonho, (quando possui impressões muito reais, comparável com  o estado de vigília) eu o cito nesta nota. Cito-o, pois da mesma forma que sonhos comuns podem nos enganar quanto ao que tomamos como realidade, julgo que a pesadelos e sonhos durante uma paralisia do sono podem provocar enganos acerca de várias coisas, talvez com intensidade maior. Entretanto o tema correlato “do que pode ser considerado real?” eu não abordo neste artigo, podendo ser margem para um assunto futuro. Em suma, se um sonho comum pode nos perturbar e influenciar, imagine um sonho durante uma paralisia do sono? Por este motivo, acho que é realmente muito bom sabermos que isto é um fenômeno natural e normal, antes que apliquemos significados, que fora do nosso contexto individual/pessoal o fenômeno não teria.

biologia, Ciência, Gerais, Off Topic , , , , , , , ,

  1. Lucas
    14, Agosto, 2010 a 17:29 | #1

    Oh, obrigado por mostrar o quão normal somos. O quanto nossas experiências são redutíveis a modelos biológicos, bem como por renovar nossa fé no discurso científico, tão bom para a normalidade. Ainda bem que a ciência está ai como o mais forte conjunto de narrativas do mundo, sim? A narrativa das narrativas.

    • 14, Agosto, 2010 a 18:00 | #2

      Olá Lucas!

      Obrigado pelos seus comentários.

      No entanto noto um ar de sarcasmo. Mas não creio que o sarcasmo foi bem orientado. Vejamos.

      Oh, obrigado por mostrar o quão normal somos. O quanto nossas experiências são redutíveis a modelos biológicos, bem como por renovar nossa fé no discurso científico, tão bom para a normalidade

      Se você bem ler melhor o que eu escrevi (e notar antes de tudo) eu disse que simplesmente não estou desmerecendo as vivências místicas que algumas pessoas possuem. Estou na verdade informando que existe uma explicação plausível a respeito deste fenêmeno associado ao sono REM, assim como o fato de existirem outros fenômenos presentes em nossa vida. Tenho falado sobre fenômenos neste blog. Acompanhe na barra de busca.
      Não creio que seu comentário foi muito feliz pois:
      1) Não estou reduzindo, no artigo, o homem à sua biologia. Este é um tema que não abordei. Posso abordar filosoficamente este tema sem nenhum problema; mas não é o objetivo deste artigo.
      2) Apenas mostrei que algo que apavora muitas pessoas (sim, podemos encontrar muitas pessoas que não conhecem o fenômeno e julgam que isso é obra de um ser que gostaria de lhe fazer mal).
      3) Não estou “renovando” nenhuma fé no discurso científico. Se ler melhor o que escrevo neste blog, irá notar que eu estudo a ciência de forma que não me sinto a favor do cientificismo ou de cienciocracias. Apenas tenho a posição de que simplesmente a ciência, como outro âmbito humano, pode ser mal interpretada e é mais um instrumento nosso.
      Entretanto o fato de abordar o fenômeno social que há por trás da ciência, como em outros artigos meus, isso não garante necessariamente uma invalidez da ciência. É um falso OU exclusivista. O fato da ciência explicar o fenômeno, que é ignorado por muitos, e que eu traga a explicação neste blog, não diz que estou a ser um propagador de fé no cientificismo. Apenas tenho a posição que antes de atribuirmos significado, devemos olhar mais atentamente para o fenômeno. Significados por significados posso atribuir até a uma chuva; significados que por vezes não falam realmente do mecanismo deste fenômeno, bem como por vezes são significados fora de seu contexto.
      Se eu digo que há uma chuva feliz, não metaforicamente, estou atribuindo um significado que não compete à chuva. Ele é dado conforme uma série de pressupostos que tenho de ter fé.
      4) Muito menos estou a garantir a normalidade de alguém com a ciência. Apenas estou mostrando que existe um fenômeno e seu acontecimento é ignorado por muitos.
      5) Eu jamais disse que:

      Ainda bem que a ciência está ai como o mais forte conjunto de narrativas do mundo, sim? A narrativa das narrativas.

      Digo, entre outras postagens, que é mais um instrumento humano para descobrir o mundo que vivemos. Entretanto este argumento não diz que é melhor e nem pior que outros meios.

      Portanto, se você notar melhor estou apenas a elucidar algo que acontece (fenômeno) e que as vezes são interpretados de forma amedrontada, pelo simples fato do desconhecimento.

      Se você nunca tivesse espirrado e nunca tivesse visto alguém espirrar; quando o fizesse poderia simplesmente achar que é, ou algo sem explicação, ou algo causado sobrenaturalmente, ou que você estaria severamente doente (isolando o espirro como causa) etc. Então você leria na internet que isto é um fenômeno em seu corpo e é comum; mas não! Ficaria irado e de forma suposta e superficialmente irônica iria achar que o seu autor o estaria reduzindo à biologia!

      No mais, quando quiser falar do que, estritamente, escrevi, sinta-se livre.
      Qualquer coisa leia sobre “princípio da caridade” neste link:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Princ%C3%ADpio_de_caridade

      Arnaldo Vasconcellos

  2. Daniela Silvia
    4, Novembro, 2010 a 18:06 | #3

    Adorei a sua inteligencia e competencia tá?
    E aí vai uma dica que meus amigos já me viram falando….
    NÃO LEVE EM CONSIDERAÇÃO AS OBRAS LEIGAS…
    Obrigado e até a próxima!

    • 5, Novembro, 2010 a 12:09 | #4

      Olá Daniela,

      Obrigado pelos seus comentários. Sinta-se a vontade em contribuir neste espaço.
      Quanto ao seu conselho, dica, acho que seria melhor contextualizar sua dica; pois poderíamos nos questionar quanto a validade e a contribuição dos leigos ou obras leigas a certos assuntos. Pergunto: leigo no sentido de não familiarizado com um tema, ou leigo na acepção adotada pela igreja?

      Abraços,

      Arnaldo.

  3. Sand
    11, Janeiro, 2011 a 04:43 | #5

    Tive isso desde sempre, não me lembro quando começou,antes da adolescencia talvez, mas durou muito tempo. Eu tinha tantos episódios que se eu cochilasse acontecia, tive situações apavorantes de dormir no ônibus e ter episódio e ficar rezando para alguém esbarrar em mim e eu poder acordar.Fiquei paranóica e com muito medo de dormire me lembro de acordar dolorida da força que fazia para mexer o corpo. Me livrei disso aos poucos através de terapia e relaxamento.Uma das principais barreiras para a melhora é o medo de falar sobre isso, conforme vc se informa e conversa com quem já teve, vai melhorando, vc se da conta que muitas outras pessoas passam por isso. O pior medo é o da falta de controle, quando vc relaxa não tenta se mexer, começa a melhorar. No meu caso eu comecei a pensar:- “Ok isso é só um episódio de paralisia do sono e vai passar”, e começou a passar mesmo.Eu tive a sorte de ter poucos episódios de alucinação, acho que é porque eu tinha tanto medo que não abria os olhos e rezava sem parar. Tive sensações incríveis como se uma corrente elétrica atravessasse o meu corpo,ouvia um zimmmmmmmmmmmm, quem tem isso sabe do que eu estou falando, e sentia uma vibração em alta frequencia, esporadicamente e vi coisas, tive alucinações, mas surpreedentemente eu que morro de medo de tudo, não tive medo, fui tomada por uma tranquilidade absoluta.
    Quero deixar o meu depoimento para os que tem paralisia do sono, que isso é normal, muita gente tem e passa, e que realmente a perda do medo é um dos fatores de melhora.Recentemente li que se vc ficar mexendo os olhos de um lado para o outro rapidamente passa, não experimentei porque a muito tempo não tenho mais nenhum episódio, mas tentem.
    Fiquem calmos,isso não mata nem deixa ninguém maluco, digam que é só um episódio de paralisia do sono e não tenham medo, passa com o tempo.
    Boa sorte !!!!!

    • 11, Janeiro, 2011 a 07:36 | #6

      Olá Sand!

      Obrigado pelos seus depoimentos. Realmente, a paralisia do sono não mata e não deixa ninguém maluco. Apenas pode atordoar as pessoas, devido à força com que acontece, ante a falta de conhecimento da origem destes acontecimentos. Com o conhecimento de que é um fenômeno normal, passa a ser menos aterrorizante.
      Aliás, quando tenho episódios de paralisia do sono, sei que meu corpo está precisando de um descanso muito bom, pois geralmente tenho quando não durmo com qualidade.

      Abraços,

      Arnaldo.

  4. 17, Janeiro, 2011 a 23:48 | #7

    Olá Arnaldo. Gostei muito do que li. Como citado por você eu sinto e ouço uma série de coisas que a alguns anos atrás me causavam um verdadeiro pânico noturno. Hoje porém não sinto mais medo e encaro tudo isso com a maior naturalidade e apesar de ser cristão evangélico e continuar tendo tal experiência nem vejo tal coisa como algo “demoníaco” ou espiritual. Acho que ciência e religião (independente de qual seja) podem e devem caminhar juntas.
    Venho deixar aqui o testemunho de algo muito interessante que ocorreu comigo numa dessas experiências amedrontadoras.
    Bom, depois de experimentar essa sensação “macabra” por diversas vezes resolvi me entregar àquela sensação e não lutar contra. Notei que tal acontecimento sobrevinha na maioria das vezes no primeiro sono, mais precisamente uns 10min depois de me deitar. No dia em questão eu me entreguei a situação e tive a nítida impressão de ouvir burburinhos, risadas etc… Pensei em lutar contra (devido ao pânico que aqui entre nós era absurdo) mas relaxei e tive a impressão de cair num buraco muito profundo e derrepente todo o som desapareceu e eu fiquei mergulhado num silêncio ASSUSTADOR!!! rsrsrsr Senti uma série de formigamentos e aos poucos fui recuperando meus movimentos e quando me vi “dono de mim” minha respiração estava mais ofegante que a de um maratonista após a São Silvestre! Vou te contar que foi uma experiência ATERRORIZANTE, mas foi depois dela que comecei a compreender uma série de coisas e deixei de espiritualizar tudo ao meu redor.
    Você tem links de artigos científicos que falam do assunto?
    Desde já valeu pela atenção e pela sua disposição e, postar algo tão pertinemte a pessoas como nós!

    • 19, Janeiro, 2011 a 13:04 | #8

      Olá Kerubin,

      Realmente a experiência da paralisia do sono pode ser extremamente assustadora. Mas o medo é justamente uma apreensão do que não compreendemos. É até uma resposta biológica normal. Hoje também não me assusto mais com estas experiências de paralisia (e elas também não ocorrem com frequencia; somente quando tenho sono irregular).

      Quanto a ciência e religião andarem juntas, muita gente acredita que elas devam andar juntas. Tenho minhas dúvidas em relação a inter-relação de magistérios entre as duas (não tenho uma opinião formada), mas sei que existe um problema muito sério quando a atitude e os procedimentos científicos são mal absorvidos pela religião, o que pode ocasionar aparecimento da pseudo-ciência. Apesar deste meu discurso contra a pseudociência, não faça uma imagem como se eu fosse um cientificista: apenas quero o bom funcionamento da ciência, e que a educação científica não seja disvirtuada pela pseudociência; assim como respeito o magistério do âmbito religioso, mas desde que não haja uma operação humana (ciência ou religião) a tentar manipular a outra (o que distorceria o escopo de cada uma). Isso significa que sou crítico tanto com a religião, quanto com a ciência; entretanto meu objeto de estudo atual é como o escopo científico pode ser disvirtuado a favor de outras operações humanas (e a religião pode ser uma delas).

      Achei bom o seu depoimento sobre a paralisia do sono. Isso mostra a outros visitantes o quão normal pode ser esta situação.
      Por ora estou sem links a respeito do assunto, depois te passo por email.

      Abraços,

      Arnaldo.

  5. 13, Fevereiro, 2011 a 21:49 | #9

    olá tenho apenas 15 anos e ontem mesmo tive essa mesma sensação de sindrome do sono logo procurei me informa estou muito assustada ainda nem consigo dormi com medo de acontecer novamente.
    otem foi a 1 vez foi 2 vezes na mesma noite não consegui me mexer, mesmo q eu queizesse tentei abrir os ollhos e nada durou com pouco mais de 20 segundo derrepente quando consegui me mexer corri para o quarto de meus pais e falei com eles mais eles não acreditaram em mim falo q eu estav tendo pesadelos.
    chorei , fiquei mt assustada era como se eu não estivesse ali .
    quando já estava calma coxilei novamente e a mesma coisa fikei queta e não lutei contra logo passou e não falei com niguem, preciso saber se isso pode acontecer novamente ou não? Por favor me ajudem!
    abraços. e obrigada pelas informações!

    • 16, Fevereiro, 2011 a 13:43 | #10

      Olá Grazieli,

      Quando este tipo de coisa acontecer, tente não se desesperar e não se assustar. É um fenômeno natural. Com várias pessoas que conversei, notei que ao se desesperar e tentar se mexer é a pior atitude que podemos fazer. É melhor deixar o estado do sono acontecer que provavelmente você cairá no sono de novo e irá passar.

      Você perguntou se isso pode acontecer novamente. Sim, pode acontecer, assim como ninguém está imune a ter pesadelos comuns, também não estamos imunes a passarmos por uma paralisia do sono. Entretanto existem algumas coisas que podemos fazer para evitar um quadro de paralisia do sono: comigo, pelo menos, acontece quando não estou tendo um sono de qualidade e que não estou dormindo bem a dias. Assim, tento manter uma rotina de sono. Tento evitar dormir de dia (embora o sono do dia seja extremamente gostoso), e principalmente evitar dormir em lugares barulhentos (isso acaba com a qualidade do sono que você está tirando).

      Houve uma época em que eu trabalhei de madrugada, e meu sono foi muito irregular. Nesta época tive episódios de paralisia do sono durante o dia, justamente por causa do sono irregular.

      Espero ter ajudado, abraços,

      Arnaldo.

  6. Danniel Yehudi
    2, Abril, 2011 a 06:52 | #11

    eu adorei o post tipo eu nunca vi ningem com isso então ficava assutado até mesmo por ser jovem minha mãe sofre disso e eu tbem tenho isso desde os 8 anos hj tenho 15. mais emfim é realmente horrivel isso não são todos que ficariam de boa sem se deixar abalar.
    obg pelo post gostei muito .

    • 5, Abril, 2011 a 07:25 | #12

      Olá Daniel,

      Agradecido pelo comentário.
      De fato é muito normal se assustar no início. Depois, algumas pessoas se acostumam e procuram evitar situações que favoreçam a paralisia do sono, pois embora não seja doença, pode ser um momento desagradável.

      Arnaldo.

  7. 17, Abril, 2011 a 09:00 | #13

    Caraca, quando eu fumava maconha isso acontecia quase todo dia. Eu nem podia fumar um baseado e dormir em seguida que quando eu acordava era só a mente porque o corpo ficava ali parado. Sinistro. Mas ai anos depois eu já não fumava mais e mesmo assim ocorreu ..agora devido ao cansaço. Isso na minha opinião mostra que a mente nem sempre anda acompanhada do corpo. O corpo cansa mas a mente não.

    • 17, Abril, 2011 a 13:30 | #14

      Rubens,

      Para a paralisia do sono acontecer não é necessário uso de narcóticos. Entretanto sua descrição de uso de maconha (THC + outros canabinoides) e supostas paralisias do sono deve ser analisada com muito cuidado, pois a maconha é uma droga psicoativa, portanto altera o estado normal de percepção e reação do cérebro.
      Não duvido que tenha sofrido de paralisia do sono enquanto estivesse sob efeito da droga; talvez até tenha realmente contribuído para que tivesse algum tipo de paralisia do sono; entretanto a paralisia do sono, como um fenômeno do sono não é preciso de narcótico para ocasioná-lo.
      Portanto é preciso saber se: 1) teve realmente paralisia do sono enquanto estivesse sob o efeito da droga. 1.1) se essa paralisia foi “potencializada” pela droga. OU 2) se o que você acha que foi paralisia, não passou de uma alucinação.

      Arnaldo.

  8. Felipe
    17, Abril, 2011 a 19:21 | #15

    Opaa, esse texto foi bom. Eu já tive esse quadro umas 5 ou 6 vezes na vida. Nas primeiras vezes fiquei muito desesperado. Teve um vez que dormi com uma almofada por sobre o rosto e quando “acordei-mas-não-levantei”, fiquei cerca de 2 minutos sem respirar por causa disso. Foi tenso. Agora, o que você disse da imaginação eu até concordaria se não tivesse vivido algo que não era. Uma das vezes, ao despertar e não conseguir me mover, senti como se estivesse fora do corpo e resolvi olhar para trás e me vi dormindo. Achei que fosse sonho, fui meio que andando meio voando, até hoje não compreendi direito (já se vão uns 10 anos), fui até a cozinha do meu apê e minha empregada estava com uma amiga dela que eu nunca tinha visto. De repente fui meio “sugado” rapidamente de volta e acordei de verdade, ouvi vozes na cozinha e fui pra la e estava minha empregada falando com a moça que eu nunca tinha visto. Minha mente até poderia ter projetado tudo, o problema é que o rosto da pessoa era exatamente igual nos dois momentos. Pode ter sido um “tilt” do cerébro ou eu já tivesse visto alguma foto ou algo dessa pessoa, milhares de explicações aparecem nessas horas para racionalizar o assunto. O fato é que eu sei pelo que passei e foi do caralho. Infelizmente nunca mais aconteceu após esta vez. Continua sem ser espirita, catolico, budista ou qql outra, mas essa exp foi bizarra e do caralho.

  9. Maicon
    21, Abril, 2011 a 15:44 | #16

    Olá pessoal, isso acontece comigo sempre quando viajo de onibus em longos trajetos, realmente é apavorante, parece que fica uma maquina ligada dentro da minha cabeça, o engraçado que a única parte do corpo que consigo mexer é o dedão do pé, aê vou tentando mexer o dedão até o corpo todo atender os comandos do cerebro, dura alguns segundos, isso é extremamente aterrorizante! Existe tratamento?

    • 21, Abril, 2011 a 16:03 | #17

      Olá Maicon,

      A parilisa do sono não é uma doença. É uma condição temporária. Cerca de 50% da população, estima-se, venha a ter ou tenha paralisia do sono em alguma fase da vida. A maioria das vezes, apesar de assustadora as esperiências, elas passam quando a qualidade do nosso sono é regularizada.
      Agora, caso você tenha problemas constantes com a mesma e o sofrimento seja intenso, procure um médico para verificar uma possibilidade de evitar tais episódios. Um médico vai te dar um conselho melhor a respeito.

      Arnaldo.

  10. Mirona
    23, Maio, 2011 a 10:52 | #18

    Desde pequena tenho esses tipos de sonhos ruins que misturam paralisia e alucinações hipnagógicas.

    Quando criança eu sonhava muito que voava e sempre havia alguma coisa me puxando para baixo, tipo uma bruxa, bem parecida com a Pisadeira do folclore brasileiro, e eu corria e voava, mas parecia que ficava parada, ficava no mesmo lugar, daí eu entendia que era um sonho ruim e tentava acordar, mas não conseguia me mexer, nem gritar.Na maioria das vezes a minha avo me acordava devagar pois eu fazia alguns sons esquisitos, vindos da garganta, como se minha boca estivesse colada e não poderia abrir-la.

    Na adolescência tive uma experiência diferente.Estava na cama quase dormindo, mas uma sombra começou a se movimentar na parede, vindo na minha direção.Pensei que fosse besteira e fechei os olhos para desaparecer.Quando abri de novo a sombra estava em cima de mim, parecia alguma coisa masculina, mas não conseguia enxergar o seu rosto, e estava pesando no meu peito que atrapalhava a minha respiração.Segurou as minhas mãos com muita força e não conseguia me mexer, nem gritar.A minha avo estava dormindo comigo na cama mas estava de costas eu não conseguia fazer-la acordar para me ajudar. A sombra começou bater no meu rosto e a minha cabeça virava de um lado para outro. Assim que a minha avo percebeu o movimento da minha cabeça e os sons abafados, me acordou devagar e rezou junto a mim.

    Outras vezes eu queria acordar do pesadelo e quando achava que já tinha acordado percebia algo de estranho que não podia ser real, daí sabia que ainda estou sonhando e continuava minha luta para acordar, mas os meus gritos não eram ouvidos no mundo real.Assim parecia que acordava mas continuava sonhando e meu desespero aumentava. Acordava 3,4 ou 5 vezes dentro do sonho até alguém me acordar de verdade.

    Ontem a noite tive outra experiência parecida e percebi que só acontece no domingo a noite, na minha cama…pois não costuma dormir em outros lugares, tipo sofá,poltronas..etc.Ontem foi sinistro!Já acostumada com esse tipo de sonhos, reconheço o pesadelo desde o inicio e começo a lutar para acordar.Eu gritava para acordar e meu marido acordava ao meu lado mas não parecia preocupado, ao contrario do que ele.Entendi que estava sonhando e ouvi uma voz que me chamou com ela, e senti como se a minha alma saísse do meu corpo e comecei a ouvir cada som por menos que fosse, e isso me assustava, os batimentos do coração eram muito altas, e ouvia o barulho do sangue passando pelas veias, até os sons das mais pequenas células do corpo, e era tudo escuro, mas apareciam flashes do coração pulsando, do sangue nas veias, das trocas nas células…muito assustada tentei acordar e levantei da cama e vi meu marido ao meu lado.Tentei acordar-lo mas começou a se transformar em gelatina que escorria.
    Acordei de novo e estava sozinha no quarto.Pensei que meu marido estivesse vendo televisão no outro quarto e com dificuldade, um peso no corpo, levantei da cama, tonta, coma vista enlaçada, e arrastando meus pés, foi até o outro quarto e cai de quatro, babando, com a vista embaçada e enxerguei o meu marido na cama vendo televisão, mas ele não parecia preocupado comigo, até perguntou seu era eu.Ai comecei desconfiar que ainda estava sonhando mas foi me arrastando de quatro até a cama para olhar ele. Enxerguei seus olhos que pareciam de vidro e não eram humanos.Entrei em desespero de novo e acordei no nosso quarto, sozinha.Fiquei sentada na cama por um tempo, com a mente vazia, tentando entender se era real ou não. Fiquei com medo de falar ou me mexer, pois poderia não ser real.Achei que tinha morrido, que não aceitava a condição de ter deixado de viver e que todos os pesadelos são na verdade tentativas sem êxito de retornar a vida. Cheguei a checar o meu coração, o meu pulso para ver se era verdade.Continuei na cama de olhos abertos, com um olhar fixo, até que meu marido entrou no quarto e me abraçou carinhoso, entendendo que eu tinha acabado de ter um pesadelo daqueles.

    Até agora entendi que esses pesadelos são normais, explicados pela paralisia do sono, mas queria entender o porquê os pesadelos são iguais entre varias pessoas.

    • 23, Maio, 2011 a 15:32 | #19

      Morina,

      Primeiramente, obrigado por seu relato. Sinta-se sempre a vontade em conversar neste espaço.

      Segundo, concorda comigo que dormir é um fenômeno normal? Entretanto quando uma pessoa dorme a qualquer hora, é um distúrbio (por exemplo da narcolepsia). Eu sei que não é isso que você afirmou ter, mas entenda minha linha de raciocínio.

      Ter pesadelos é algo normal, mas quando uma pessoa sente-se desconfortável de forma crônica, pode ser sinal de algum distúrbio (seja orgânico ou psicológico). Assim, o artigo que escrevi fala do fenômeno da paralisia do sono, que é normal ocorrer em 50% da população. Entretanto, assim como dormir que é uma coisa normal, ou ter pesadelos que são coisas normais, uma paralisia do sono também pode estar presente em distúrbios do sono.

      Da mesma forma episódios de paralisia do sono, como fenômenos em si e isolados, são normais. Mas o caso contado por você parece haver um incômodo já de longa data com os acontecimentos. Por este motivo assim como o fenômeno de sonhar e dormir é algo normal, podem existir distúrbios relacionados a estes processos. Ou seja, a paralisia do sono como uma condição temporária, é normal. Mas como algo recorrente, constante e intensa pode, porque não, indicar algum distúrbio do sono. Assim como dormir é normal, mas dormir o tempo inteiro em locais mais inusitados (como pode ocorrer com narcolépticos) não é algo normal. Compreende a diferença?

      Com seu relato, percebo seu sofrimento por parte da quantidade de vezes que ocorre e da intensidade. Além do fato que seu relato parece ser algo a mais que paralisia do sono. Por este motivo recomendo procurar ajuda médica, onde você poderá expor a um profissional habilitado a avaliar melhor sua condição.

      Abraços,

      Arnaldo.

  11. 23, Maio, 2011 a 15:38 | #20

    Olá Felipe?
    @Felipe

    Agora que notei que seu comentário não tinha sido lido. Mas está aqui agora ok?

    Acredito sim que tenha sido uma experiência bizarra. Já tive sonhos bizarros em que eu me via fora do corpo. Mas acho que tenha sido bem possível ter sido um sonho (pelo menos o meu caso).

    A nossa mente pode nos pregar peças.

    Até mais,

    Arnaldo.

  12. chokito
    25, Maio, 2011 a 13:35 | #21

    ola! sou mas uma pessoa com esse problemas paralisia do sono mas as minhas sao longas intencas e angustiantes a um bom tempo tenho essas experiencias vi voce falar sobre qualidade de sono mas sou musico e nao tenho hora certa pra dormir em varias veses no onibus viajando com a banda tive uma paralisia do sono acordei a banda toda com gemidos propositais para auguem me acordar todos me xaqualhavao demorei pra cordar todos no onibus ficarao sem entender varias versoes forao dadas para o episodio gostaria de nao telas mais obrigado pela atencao

    • 8, Junho, 2011 a 13:04 | #22

      Olá Chokito,

      Aconselho procurar um médico do sono para verificar sua qualidade do sono. Pois pelo seu relato o que lhe angustia não é somente o fato de ter passado por uma paralisia do sono, mas também porque sua qualidade geral do sono estar afetada.

      Um sono irregular pode afetar muito negativamente a vida cotidiana. Já trabalhei durante a madrugada durante um período do ano passado somado com vários outros afazeres e constatei que não é muito bom pra saúde. Nosso corpo começa a responder de forma inadequada quando não possuímos sono regular. Até nosso sistema hormonal (endocrinológico) começa a ser afetado, causando problemas em várias partes do corpo; pois dormir é essencial para o trabalho hormonal de nosso corpo.
      Fui alertado ao ir ao hemocentro doar sangue e, para minha surpresa, na época eu não poderia doar sangue pelo motivo de não ter tido um histórico de sono regular (daí a explicação hormonal, dada pelo médico na época).

      Procure um médico e tente manter uma vida de qualidade (mesmo sendo músico). Tenha um horário pra dormir.

      Abraços,

      Arnaldo.

  13. Nivaldo
    6, Junho, 2011 a 20:02 | #23

    Olá, Arnaldo! Gostei do texto e do seu senso expositor. Porém, gostaria de obter uma explicação mais detalhada do seguinte parágrafo escrito por você.

    “Estes efeitos acontecem porque a paralisia do sono não é meramente uma paralisia temporária dos seus músculos, ela vem acompanhada de alucinações hipnagógicas, como se os seus sonhos pudessem se fundir na realidade enquanto você não consegue se mexer.”

    Porque a “paralisia do sono” é sempre acompanhada por uma “alucinação”? Qual é o problema gerado no cérebro que possibilita gerar essa confusão das dimensões? Ou seja, estar aparentemente acordado, mas pensar estar vendo, ouvindo ou sentindo elementos sobrenaturais malignos? Porque sempre malignos ou com tendência ao anormal, et’s? No aguardo da resposta. Um abraço.

    • 8, Junho, 2011 a 12:57 | #24

      Olá Nivaldo,

      Obrigado pelo seu comentário.
      Sobre o parágrafo escrito, ressalto que a paralisia do sono apesar de uma paralisia temporária dos músculos (não atendendo à nossa vontade de movê-los) é também acompanhada de alucinações chamadas de hignagógicas (ou alucinações visuais), pois elas estão ligadas à mesma fisiologia daquilo que nos deixa em paralisia do sono.
      Obviamente não sou médico ou biólogo e a minha explicação abaixo pode ser um pouco simplista, mas corresponde ao que já li a respeito do fenômeno.
      Quando vamos dormir nossos sentidos são “suavizados” durante o período que saímos do estado de vigília (acordado) até o nosso sono. Durante o sono existem etapas, nos quais correspondem a forma e frequência das ondas cerebrais (de como eles estão funcionando, se comunicado entre si).
      Uma das etapas do sono é chamada de sono REM, que é uma sigla em inglês, mas que em português significa “movimento rápido dos olhos”; ou seja é aquela fase do sono que estamos com os olhos indo de um lado ao outro. Se parar para observar alguém (até mesmo outros animais mamíferos) verá que tem um momento que a pessoa começa a seguir os olhos de um lado para o outro como se estivesse “lendo”. Este movimento involuntário é o que dá nome a esta fase. REM.
      Nesta fase de sono REM é que ocorre a maioria dos nossos sonhos. Aqueles sonhos com maiores detalhes.
      Nesta fase, a capacidade da gente mover os músculos é interrompida (por meio da suspensão da comunicação com os neurônios motores). A resposta para esta função é compreensível: imagine se nossa capacidade motora continuasse concomitante com os sonhos? Se eu sonhasse que estaria correndo, eu moveria as minhas pernas.
      Por isto, numa pessoa que está devidamente saudável em seu sono, essa capacidade é interrompida.
      A qualidade de nossos ciclos de sono passando pelo sono REM é vital para nosso corpo. E a qualidade final do sono é relacionado pela boa qualidade dos ciclos de sono culminando com um bom sono REM. O sono REM é o último ciclo de sono (depois eles podem recomeçar; coisa que fazemos umas ~4 vezes por noite).
      Ter um bom ciclo de sono é importante, por exemplo, para termos a reparação celular, recuperação de orgãos, sem contar no descanso do corpo e da mente.

      Como acabei de afirmar, no sono REM a pessoa está com os músculos paralisados, para que não se mova durante o sonho; entretanto com uma qualidade inferior de sono, ela pode sair do sono REM e, por exemplo, continuar com a paralisação dos músculos. Um estado de vigília ainda não retomado totalmente e portanto com os sentidos ainda confusos e sem se mexer é comum as pessoas sofrerem algum tipo de medo ou pânico (o que ajuda ainda mais a distorcermos o que percebemos do ambiente). Assim imaginamos coisas, vemos coisas que não estão lá e até mesmo sentimos.

      Já quanto as pessoas que acabam associando vivências de paralisia do sono com abduções de ETs, julgo que é mais uma causa social: se estivéssemos fisiologicamente como descritos acima e confusos com nossos sentidos, e ainda estivéssemos numa outra sociedade ou tempo poderíamos imaginar que fomos visitados por mortos, anjos, gnomos, elfos ou qualquer coisa que venhamos a estar inseridos socialmente: é possível até ver pessoas do próprio cotidiano, mas sem elas estarem lá.

      Portanto uma paralisia do sono nem sempre presenças que julgamos “malignas” estão associadas. Algumas podem ser experiências com visões de seres que temos como “benéficos”, assim como também podemos ver pessoas comuns, objetos comuns ou incomuns etc. Depende de caso para caso. Entretanto, o pânico de não se mover associada com distorções na percepção do mundo pode nos induzir a sensações desconfortáveis.

      Já algumas pessoas me relataram sensações agradáveis, principalmente depois de saber que é apenas um fenômeno e tentarem voltar dormir em seguida.

      Bem, é isso. Mas se você quiser uma resposta mais detalhada (a respeito dos detalhes fisiológicos), aconselho procurar um profissional da área da biologia.

      Abraços,

      Arnaldo.

  14. Maria
    29, Julho, 2011 a 13:39 | #25

    Repostando…acho que fiz alguma besteira…hehehe

    Olá Arnaldo!! Obrigada por esse texto tão esclarecedor. Hoje tive mais um episódio desses, acordei desesperada e vim procurar informações na net. Geralmente acontece quando estou sozinha em casa, acho que fico com medo e isso acaba refletindo na qualidade do sono (isso estou achando agora, pq antes de ler esse texto tava pensando em 1001 possibilidades). No meu caso de hoje, acordei, mas não conseguia me mover, só que na verdade eu sentia meu braço ou qualquer outra parte do meu corpo se movendo. Fiquei apavorada, achando que tinha morrido, pq tudo parecia muito real. Conseguia ver o meu cachorrinho deitado no chão do quarto e chamava-o para que ele me tocasse e eu acordasse. Logo depois eu achei q tivesse acordado de novo, senti um aperto da minha garganta e acabei vomitando. Peguei o celular e liguei para uma amiga pedindo ajuda. Enquanto “falava” com ela no telefone, um homem arrombou minha janela com uma arma na mão apontando para mim. Foi realmente assustador. Vi que ainda não tinha acordado de novo, fiz força para acordar, mas não sei quantas vezes tive a sensação de acordar e não me mover. Até que consegui acordar de verdade, era madrugada e fiquei com medo de dormir e acontecer de novo. Comecei a pensar coisas positivas e logo peguei no sono novamente, dessa vez sem esses pesadelos.
    Obrigada por dividir conosco essas informações, já estava achando que era só comigo e que estava ficando doida. Vou atrás de matérias sobre paralisia do sono agora.

  15. Rodrigo Mattioda
    26, Agosto, 2011 a 21:41 | #26

    Eu tenho isso muito seguido, eu não o vejo como um “problema” pois de uma forma se você se concentrar o suficiente consegue fazer coisas realmente impressionantes (mas nada ao redor de você neste estado é real apenas o espaço onde você está, por isso não me preocupo)… de uma certa forma quando fico neste estado de paralisia eu tento controlar as coisas ao meu redor (como ja disse nada que a pessoa ve é real) obtive experiencias surpeendentes pois consiguia mover certos objetos e mover até o meu próprio corpo só que de um jeito diferente como se estivésse sendo arrastado pela cama, mas tudo isso com plena consiencia e esforço próprio para acontecer. Claro que tudo isso não passou de um sonho, mas muito antes de eu tentar controlar isso eu vi as portas de meu guarda-roupa abrindo sozinhas (lógico que entrei em pânico) e outras vezes juro que vi pessoas ali que sequer existem, imagine o meu medo… mas não precisam ficar com medo nem nada se você consegue ver isso da forma que eu vejo tudo fica muito divertido… muito obrigado por postar isso…

  16. karine
    20, Setembro, 2011 a 19:01 | #27

    Eu tenho muito essa paralisia, mas é muito estranho, sempre quando isso acontece eu tenho a sensação que não estou sozinha, sempre acordo com alguém do meu lado, atras de mim, mas não consigo virar pra ver quem é, e fico desesperada, já tive a sensação de uma criança estar agarrada nas minhas pernas, mas não conseguia me mexer e nem ver quem era, a criança subiu até meu ouvido e falou q eu ia morrer..foi muito ruim, acordei chorando, foi horrível. e tbm teve uma vez que vi um vulto preto descendo da cama da minha irmã e subindo em cima de mim, me sufocando, eu não conseguia me mexer nem gritar, não conseguia fazer nada, mas eu estava ficando sem ar, comecei a rezar e foi quando eu consegui acordar.
    é muito ruim isso, horrível.

  17. Alex
    29, Outubro, 2011 a 15:07 | #28

    Olá Arnaldo
    Gostei muito deste post. Já tive alguns fenômenos iguais aos já narrados anteriormente e pensava que fosse um caso de desdobramento.
    No último, o que mais me impressionou, além de estar acordado e poder apenas mecher os olhos, não conseguia mover nenhum músculo do corpo. Aí foi que aconteceu que eu senti como se uma pessoa invisível estivesse batendo nas minhas costas como se quisesse entrar dentro de mim. Eu ouvia um som muito esquisito em uma frequência diferente da nossa. Quando isso acontece eu normalmente rezo e em seguida o fenômeno se encerra e eu me sinto libertado de uma pressão. Naquele dia eu fiquei com dor nas costas nos locais onde parecia que algo se apoiava em mim. O detalhe era que eu estava exausto ao dormir, não estava com o sono em dia e também estava sozinho em casa.Será que isso tem algum fundamento espiritual? Também percebo que isso ocorre na primeira parte do sono.

    • 30, Outubro, 2011 a 13:12 | #29

      Olá Alex.

      Obrigado pelo relato.
      Você me questiona se eu encaro seu relato como algo espiritual.
      Tenho que isto possa ser explicado por processos puramente naturais. O fato de estar exausto e em casa sozinho não tiram a possibilidade de um tipo de paralisia do sono. Alterações no padrão de sono, como um sono irregular interferem nas nossas percepções, como mencionado no artigo. E o fato de que estivesse sem o sono em dia e muito cansado poderia contribuir para isto.
      Portanto, tenho a resposta que seu caso também é respondido por causas naturais.
      Entretanto nem todo mundo aceita a resposta de algo como natural (em contra-posição a um sobrenaturalismo) como satisfatória, então, por uma questão de cosmovisão a minha resposta pode não satisfazê-lo (visto que alguns encaram a sensação encontrada nestes termos, como algo subjacente a algum tipo de fundamento sobrenaturalista).
      No entanto, acho que apesar de pessoas encararem estes acontecimentos como possibilidades espirituais, elas devem ser consideradas como mais uma das coisas incríveis que a natureza (e portanto a matéria) podem produzir.

      Arnaldo.

  18. felipe
    6, Novembro, 2011 a 07:27 | #30

    bom ja aconteceu isso comigo mais soh acontece quando eu durmo de barriga pra cima ja aconteceu diversas vezes isso comigo que ja ate arranjei uma solução eu puxo o ar de volta pode ser que isso tem aver com uma doença que eu vi uma vez que pessoas para de respirar quando dormem algo.deem uma pesquisa sobre isso pra descobri a respeito.

  19. felipe
    6, Novembro, 2011 a 07:41 | #31

    ah detalhe nunca aconteceu algo n natural comigo apenas acordava e conseguia ver meu quarto todo e eu tenho dois cachorrinhos meu que dormem comigo e eles não fazia nada apenas umas duas vezes uqe eu fiquei tipo mormurando ai eles fikaram olhando pra min o ingraçado que eu via tudo ate eles olhando pra min masi não conseguia me mexer ai soh volto quando respiro fundo.tipo ate meu irmao uma vez jah deu isso e quando deu isso nele eu estava acordado e quando ele conseguiu tipo se leventar disso ele acordo puxando o ar.

  1. Ainda sem nenhum trackback.