O pavor de acordar e não se mover – paralisia do sono

O que me motiva a escrever esta postagem é um fenômeno plenamente natural, que acontece com muito mais gente do que pensamos, mas que pode influenciar profundamente no que algumas pessoas acreditam.

O sonho - Pierre-Cécile Puvis de Chavannes

O sonho - Pierre-Cécile Puvis de Chavannes

Vez ou outra, existem ocasiões no qual após acordar tento me mexer, e opa, não consigo mover quase nenhum músculo.

A situação já me ocorreu tanto que tento não me apavorar, mas nas vezes que por ventura tentei mover-me impulsivamente, fracassei em quase todas tentativas (poucas vezes consegui, ou imagino ter conseguido mover um único músculo).

E para piorar mais e mais, todas as vezes foram permeadas acontecimentos estranhos. Como ver alguém no meu quarto. Ouvir alguém arrastando uma cadeira de lá pra cá e não conseguir ver a pessoa etc.

Esta condição, normal, que acontece com cerca de 50% das pessoas, chama-se “paralisia do sono”. Algumas ocorrências podem ser bem leves, mas outras podem causar pânico na pessoa que a viveu até bem como influenciar sua conduta religiosa.

O Pesadelo - Heinrich Füssli

O Pesadelo - Heinrich Füssli

Estes efeitos acontecem porque a paralisia do sono não é meramente uma paralisia temporária dos seus músculos, ela vem acompanhada de alucinações hipnagógicas, como se os seus sonhos pudessem se fundir na realidade enquanto você não consegue se mexer.

A primeira vez que ví uma explicação séria a respeito foi, tanto num documentário que assisti, a muito tempo atrás (creio que na Discovery Channel, não lembro-me bem), quanto com as explicações também dadas por Carl Sagan (em seu “O mundo assombrado pelos demônios“, já comentado neste blog). Por este motivo não me assusto com tais fenômenos, como se fossem algo místico.

[.meuadsense] Entretanto algumas pessoas têm experiências bem fortes, a ponto de terem suas vidas mudadas. Existem relatos de pessoas que dizem terem sido abduzidas por alieníginas ou ainda outras que vivenciaram projeção para fora do corpo: muitos relatos estão associados ao fenômeno, plenamente natural, da paralisia do sono.

Inclusive passei por uma situação dessas a pouco tempo e fui reler a respeito (embora a ocorrência mais incrível que passei já data quase dez anos). Esbarrei no artigo “Assombração, demônio ou ciência?” de Gabriel Cunha e conferi como realmente é algo comum, visto a quantidade de pessoas que comentaram seu artigo. Sim, muita gente passou por este fenômeno, e embora possa assustar é algo plenamente comum. Vale a pena vocês visitarem o artigo mencionado e conferirem mais a respeito.

O fenômeno é causado, entre outras coisas, pela privação de sono e sono irregular (como foi meu último caso).

E a vivência das alucinações hipnagógicas são tão fortes que muitas vezes pode nos deixar atônitos ou influenciar a visão de mundo de algumas pessoas.

Portanto, por mais assustadora que seja o sonho, as alucinações, ou ainda o fato de estar paralisado, é bom saber que não se passa de uma condição normal, temporária e que muitas das vezes, para a maiorira das pessoas, é causada por hábitos de sono irregular.

Não que eu queira menosprezar as experiências que ganham conotação mística/religiosa para algumas pessoas; mas é, realmente bom saber, que o nosso cérebro pode nos pregar algumas peças. E por isso antes de darmos significados, que por vezes são estratosféricos, é bom ter em mente que existe um fenômeno biológico que explica muito bem tal condição(1).

Arnaldo Vasconcellos

UPDATE: A paralisia do sono é uma condição temporária, geralmente causada por sono de baixa qualidade ou irregular. O fato de ser uma condição temporária não a torna algo anormal. Estima-se que 50% da populaçao tem, teve ou terá episódios com a paralisia do sono. Ela não é uma doença, no sentido estrito do termo. Portanto caso você tenha paralisia do sono, tente verificar se seu sono está sendo de baixa qualidade, ou se alguma outra coisa está interferindo. No momento em que tiver paralisia do sono, não se deixe assustar pelas experiências incríveis, veja que é um estado de sono e tente relaxar e dormir.

Agora, caso você tenha com frequência e as alucinações estão dificultando sua vivência e causando algum tipo de incômodo; o melhor a fazer é procurar um médico para verificar a sua qualidade de sono e verificar se o seu caso foge ou não da grande maioria dos casos que são considerados normais. Procure um especialista de sono e tenha noites mais felizes.

NOTA:

(1) – O filósofo Rene Descartes trabalhou em seu “Discurso do Método” momentos em que não podemos dicernir o sonho do real. Descartes não estava a falar da paralisia do sono, tema deste artigo, mas abordou algo muito interessante: o quanto nossos sentidos podem nos enganar. Por este motivo, apesar dele estar a falar do sono comum a nos confundir com o real, impedindo uma garantia entre o que é real e o que é sonho, (quando possui impressões muito reais, comparável com  o estado de vigília) eu o cito nesta nota. Cito-o, pois da mesma forma que sonhos comuns podem nos enganar quanto ao que tomamos como realidade, julgo que a pesadelos e sonhos durante uma paralisia do sono podem provocar enganos acerca de várias coisas, talvez com intensidade maior. Entretanto o tema correlato “do que pode ser considerado real?” eu não abordo neste artigo, podendo ser margem para um assunto futuro. Em suma, se um sonho comum pode nos perturbar e influenciar, imagine um sonho durante uma paralisia do sono? Por este motivo, acho que é realmente muito bom sabermos que isto é um fenômeno natural e normal, antes que apliquemos significados, que fora do nosso contexto individual/pessoal o fenômeno não teria.