Início > Astronomia, Gerais, Off Topic > Como comprar um telescópio ou luneta

Como comprar um telescópio ou luneta

image_pdfimage_print

Este breve artigo foi escrito para ajudá-lo na hora de comprar um telescópio ou uma luneta. O objetivo básico e evitar que, ao decidir comprar um destes equipamentos, você não seja induzido a levar, como diríamos… gato por lebre.

Você decide comprar uma luneta ou um telescópio e começa a se deparar com vários lugares vendendo telescópios ultra-possantes que prometem aumento de 750x, ou mais. Daí você pensa; ótimo, comprarei um excelente produto.

Errado. Muitos produtos que prometem aumentos enormes não são de boa qualidade e o aumento é teórico, baseado em um objeto que supostamente seria muito brilhante. Quem compra um telescópio deve ter em mente que todo equipamento têm características que limitam seu aumento; e deve ter outra coisa em mente: o aumento não é a característica mais importante.

Para começo de conversa uma das características mais importantes é a abertura do telescópio. Quanto maior é a abertura, mais luz entra no telescópio e por sua vez irá melhorar a nitidez da imagem (resolução e luminosidade), a quantidade máxima de aumento, quais estrelas mais tênues você irá ver.

Evidente que, “quanto maior a abertura do telescópio for” melhor, mas existe limites. O limite para um usuário amador é basicamente a portabilidade. Então devemos mesclar o tamanho da abertura com a nossa necessidade por tal abertura.

Deixando de lado a questão da abertura do telescópio, uma propriedade que deve estar na mente de quem irá adquirir o telescópio é a qualidade dos materiais que a compõe e o tipo de telescópio (se refrator ou refletor).

Os telescópios refratores são montados apenas com lentes. Uma lente objetiva (a da frente do telescópio) e a ocular (a que nós olhamos). Claro que existem lunetas terrestres com uma lente inversora, mas basicamente para um telescópio refrator é necessário uma objetiva e uma ocular; com distância focal diferentes. Lembrete: distância focal é a distância para que uma lente crie um foco num anteparo.

Os telescópios[bb]refletores são feitos com espelho paraboloide ou esférico, como a objetiva, e possuem uma lente ocular; basicamente. Tornam telescópios com aberturas maiores com preços mais acessíveis e mais portáteis. Foi inventado por Isaac Newton (o modelo que ele criou é chamado de Newtoniano). Um telescópio refrator, a partir de uma determinada abertura torna-se pesado e caro, por causa da perfeição que a lente objetiva deve ser confeccionada; por isso a popularidade dos refletores.

Existem também modelos mistos.

Ao se adquirir um refrator, tenha em mente, por exemplo se as lentes, como a objetiva, é feita ou não de acrílico. Se for de acrílico a qualidade pode ser inferior que uma de material vítreo. Caso seja um refletor, procure saber com o fabricante de quanto em quanto tempo deverá limpar o espelho da objetiva e re-fazer a metalização (sim, nos telescópios refletores, a cada certo período, deve-se fazer esta manutenção).

Voltando para o assunto das características dos telescópios, é importante conhecer cada uma; sabendo que a abertura do telescópio é como uma característica âncora para as outras que veremos abaixo. É bom saber para não sermos enganados ao decidirmos comprar um.

  • Aumento do telescópio

A quantidade de vezes que um telescópio aumenta a imagem está relacionada com razão entre a distância focal da objetiva com a da ocular. Portanto uma objetiva com distância focal de 1200 mm e uma ocular de 10 mm, faz com que tenhamos um telescópio aumentando 120x a imagem do objeto observado.

  • Aumento máximo útil

Imagine que a quantidade de luz que entra na objetiva do telescópio é a quantidade de informação que comporá uma imagem. É como numa antena parabólica – quanto maior for, mais onda você captará. Assim um telescópio qualquer tem um limite no aumento, baseado no tamanho da abertura de sua objetiva: podemos até aumentar a imagem dum objeto acima do aumento máximo útil, mas você perderá a nitidez da imagem. Por isso aqueles incríveis 750x de aumento são duvidosos.

Para saber o aumento máximo útil você deve saber o tamanho da abertura da objetiva do telescópio (em milímetros) e multiplicar pela constante 2,5. Com isso você obterá o aumento máximo que aquele telescópio poderá fazer sem escurecer a imagem.

  • Luminosidade

A luminosidade de um telescópio influencia na imagem final. É a quantidade de luz que o telescópio obtém. Esta é uma característica que pode estar até estampada no embrulho do telescópio. Fulano comprou um F 8 e ciclano comprou um F 9. Sabemos que fulano comprou, portanto, um telescópio mais luminoso que o de ciclano. Para calcular a luminosidade dividi-se a distância focal da objetiva (mm) pelo diâmetro (mm).

  • Poder separador

O poder separador é medido em arcos de segundo. É basicamente a resolução que o seu telescópio pode proporcionar ao gerar uma imagem. Sabemos que quanto melhor for a resolução, melhor e mais detalhada a imagem será.

Obtém dividindo a constante “120” pelo diâmetro em mm da objetiva. O resultado estárá em segundo de arco (estranhou essa nomenclatura? vem lá das aulas de trigonometria).

  • Magnitude limite

A magnitude de uma estrela é o brilho que ela possui. Quanto maior for a magnitude, mas tênue é seu brilho. A magnitude é medida numa escala logarítmica. Isso significa que magnitude de 4 não é o dobro de 2. A escala é maior.

Para ter uma noção, podemos, com boa visibilidade (sem poluição luminosa) e com céu limpo, ver estrelas até com magnitude 6 (que são aquelas mais fraquinhas que vemos).

Para calcular a magnitude tire o log do diâmetro (em cm), multiplique por 5 e some com a constante 7,1. Pronto saberá a magnitude limite de seu aparelho.

Pronto, sabendo destas características e como funciona basicamente um telescópio, você estará pronto para adquirir um sem que seja enganado por aí, seja com aumentos incríveis em telescópios com aberturas mínimas, ou com aparelhos de qualidade duvidosa.

(1) Alguns sites que julgo importante visitar para complementar seu conhecimento:

  1. Observatório Phoenix
  2. Wikipédia
  3. Observatório UFMG
  4. Astroshop
  5. Telescópios astronômicos

Arnaldo Vasconcellos

Astronomia, Gerais, Off Topic , , , , ,

  1. Ainda sem nenhum comentário.
  1. Ainda sem nenhum trackback.