Cursos On-Line “Budismo e a Psicologia Moderna” e “Pensamento Científico”

De alguns anos para cá, conheci o Coursera (por volta de 2013) e logo depois conheci o Veduca. São sites parecidos. Oferecem cursos on-line e alguns com certificados (pagos, obviamente).

Vários cursos destes sites são gratuitos e de um tempo para cá venho verificando alguns para acompanhar, por uma questão de adquirir mais domínio em línguas estrangeiras e o conhecimento em questão.

Em abril passado, dois cursos chamaram-me a atenção: “Budismo e a Psicologia Moderna” e “Pensamento Científico”. São dois cursos com vídeos e textos e são tranquilos (até agora) de acompanhar.

[meuadsense]

O primeiro é ofertado através Coursera pela Universidade de Princeton, ministrado por Robert Wright. E o segundo é pela Universidade Autônoma do México ministrado por Carlos Gershenson.

O Veduca também tem cursos bem interessantes, que também são associados a Universidades no mundo. Embora não esteja cursando me interessei nos de Ciência Política e Bioenergética.

Os cursos de Ciência Política e Bioenergética comentei em outro blog (www.ced310.com.br/blog).

Abaixo, verifique os links:

Arnaldo Vasconcellos

 




Voltaremos

Ill+Be+Back

Depois de um tempo fora da ativa, voltarei a postar no Blog Análise da Ciência.

O blog está passando por uma recuperação/restruturação e em breve estaremos de volta.

Abraços,

Arnaldo Vasconcellos




Semana Mundial do Espaço – 04 a 10 de Outubro

Recebi por e-mail a divulgação do evento. Este ano será comemorado os 50 anos de vôos espaciais tripulados.

Abaixo reproduzo o texto que recebi por email e o pôster do evento.

[.meuadsense]

A World Space Week (http://www.worldspaceweek.org/) ou Semana Mundial do Espaço é o maior evento internacional público dedicado ao espaço, com comemorações em mais de 50 nações.

Semana Mundial do Espaço - Pôster

Semana Mundial do Espaço - Pôster (Clique para ampliar)

Oficialmente estabelecida pelas Nações Unidas em 1999 como uma celebração internacional de contribuição da ciência e da tecnologia espacial para a melhoria das condições de vida das populações, a Semana Mundial do Espaço, de 4 a 10 de Outubro, é assinalada pela comemoração de dois eventos marcantes da era espacial:

– O lançamento do primeiro satélite artificial, Sputnik 1, abrindo o caminho para a exploração espacial, em 4 de Outubro 1957;

– A assinatura do Tratado sobre os princípios que governam as atividades dos Estados na Exploração e uso do Espaço, incluindo a Lua e os outros corpos celestes em 10 de Outubro 1967.

O tema da Semana Mundial do Espaço em 2011 é “50 anos de voos
espaciais tripulados”. Uma homenagem ao primeiro voo espacial humano que ocorreu no dia 12 de abril de 1961, quando o cosmonauta Yuri Gagarin  completou uma órbita  ao redor da Terra a bordo da nave Vostok 1, lançada pelo programa espacial soviético e desenhada pelo cientista  Sergey Korolev.

O BRASIL / EVENTOS NA SEMANA MUNDIAL DO ESPAÇO

Na Semana Mundial do Espaço – 04 a 10 de Outubro de 2011, os astrônomos amadores e profissionais, professores e alunos, as instituições de pesquisa e ensino, as associações, os grupos e clubes de astronomia, os planetários e todos os entusiastas da ciência  são conclamados a fazerem e registrarem no site da World Space Week 2011  quaisquer eventos relacionados ao espaço: sessão pública de observação com telescópio, concurso de desenho ou redação, distribuição de panfletos temáticos, palestras, lançamento de foguetes, exposição fotográfica com imagens espaciais (a exposição “Paisagens Cósmicas” com seus excelentes painéis é uma excelente pedida para um evento em escolas, museus, bibliotecas, etc), sessão especial no planetário, um abaixo assinado contra a poluição luminosa de sua cidade, uma sessão de bate-papo exclusiva sobre o espaço pela internet, atividades escolares (exercícios para casa) sobre o espaço, a
organização de um evento esportivo (um jogo de futebol de campo ou futebol de salão entre amigos, basquete, volei, natação, sinuca ou outro esporte) dedicado a Semana Mundial do Espaço ou um Ballet infantil temático.

Se você não tem como fazer nenhum desses eventos mas tem um blog: poste algo pessoal, uma mensagem sobre o espaço para o mundo e registre-a no site de evento, para que todos possam acessa-la!

(…)

Para registrar seu evento no site da Semana Mundial do Espaço 2011 e divulgar sua associação e suas atividades para o Brasil e para o Mundo é muito fácil.
Acesse: http://www.worldspaceweek.org/new_event.php  e preencha o formulário em português ou inglês. (…)
Para ver os eventos já registrados acesse: http://www.worldspaceweek.org/calendar_2011.php

Promova a Educação Científica!

Promova a Exploração do Espaço e a Astronomia!

(…)

Valmir Martins de Morais – (email suprimido para evitar spams)

Pessoal, recado dado. Vamos participar?

Arnaldo Vasconcellos




Animação da re-entrada de UARS na atmosfera

A notícia já rodou o mundo do satélite que irá cair, hoje ou amanhã. UARS era um satélite meteorológico, lançado em 1991 pelo Discovery e já estava desativado. A NASA ainda não conseguiu determinar local da queda, apenas sabe-se que não será nos EUA. Abaixo uma animação da re-entrada.

[.meuadsense]

Arnaldo Vasconcellos




Links interessantes que valem o clique #01

Pessoal, aqui estão links que acho interessante a leitura. Não somente para ler, mas também para refletir. Toda semana farei uma pequena seleção.

[.meuadsense]

  • Astronomia



Depende do ponto de vista…

Lanterna Verde ou Pão com ovo? Depende do ponto de vista

Lanterna Verde ou Pão com ovo? Depende do ponto de vista

Eu particularmente prefiro o Pão com ovo.

[meuadsense]

 

Arnaldo Vasconcellos




OFF Topic: UnB alagada, culpa de quem?

Com o episódio de ontem (10/04) muitas coisas se perderam: mobiliário, arquivos, computadores, equipamentos de rádio e TV (UnBTV e RádioUnb sofreram muitas perdas), até materiais de pesquisas[bb].

Hoje pela manhã, fui ao Campus, encontrei o ICC interditado, poucas pessoas entravam. De fora, alguns estudantes ainda perplexos, lá dentro gente trabalhando para retirar a sujeira que se instaurou, trazendo consigo o caos.

Emissoras de TV[bb]se aglutinavam numa das entradas do ICC e ao dar uma volta no prédio (sim fiz isso, pois eu precisava ir ao DAIA) notei aquelas pequenas entradas de ventilação estavam sujas (que com o alagamento viraram “entradas de alagamento”, pois muitas destas entradas que dão ventilação aos anfiteatros e salas do subsolo viraram o meio mais fácil da vazão da água).

E por que elas viraram um meio de vazão da água? Porque o mecanismo adequado de escoamento, obviamente não deve ter funcionado de forma adequada. Há relatos na internet em que o pessoal afirma que restos de construções, ou restos de gramas atrapalharam o escoamento.

Que o ICC precisa de reformas[bb], muita gente já sabe. Mas porque não fazê-la? Alegar falta de verba não muda a situação. De qualquer forma o dinheiro a ser gasto para reparar o que perdemos (o que puder ser reparado), julgo que será maior que se a prevenção houvesse ocorrido.

A culpa da UnB alagada não é do tempo que nos pegou de surpresa e precipitou o triplo de chuva que o esperado para o mês, mas sim o descaso com a educação.

E o alagamento da UnB é apenas um reflexo do descaso com a educação. E é um reflexo ainda muito tênue:
Trabalho a noite numa escola do estado de Goiás, conheço o descaso da educação que existe por lá (fechamento de turmas, escolas sem biblioteca, sem sede própria, falta de equipamentos etc). Mas não se engane, pensando que é outra Unidade da Federação: o descaso educacional é nacional. Nosso país tem em seu pulso o instinto de deixar o lado educacional em segundo plano.

[.meuadsense] Portanto o que afundou a nossa querida ilha da UnB, não foi uma uma nuvem troll que precipitou mais água do que deveria, mas sim toda a nossa política que sobrepõe tudo acima da educação. E quando falo de política, não estou falando apenas de políticos; digo também sobre as nossas negligências e ao nosso comodismo.

Assim, não adianta culpar arquitetos e engenheiros do projeto inicial, da década de 60 ainda, pois o caos instalado ontem remonta um descaso com a manutenção de um prédio; um descaso que não somente acontece com a UnB ou com instalações prediais.

Realmente é uma pena. Não somente perdas mobiliárias ocorreram. Perdemos estudo. Perdemos produção científica. Perdemos história (ou ao menos materiais que contariam nossa história). Arquivos de décadas atrás, perdidos. Materiais de pesquisa, perdidos: de manhã, encontrei uma moça, aflita com a possibilidade de sua sala ter também sofrido com o alagamento. Na sala (no subsolo) havia seus experimentos para o trabalho de conclusão de curso.

Este alagamento entrará para história de nosso campus. E espero que possamos aprender com este acontecimento, que poderia ter sido evitado. Mas, desejo, muito mesmo, que venhamos a refletir sobre as necessidades educacionais de nosso país (estrutura, material didático, salarial, capacitação etc), afinal o alagamento de nossa UnB é apenas um pequeno reflexo da situação que emerge enquanto todo o resto de coisas ainda longe da tona está.

Arnaldo Vasconcellos




OFF Topic: Chuva forte em Brasília inunda UnB

A chuva forte que acabou de cair aqui em Brasília (nesta tarde de 10/04/2011) inundou o ICC (prédio da UnB conhecido também como “minhocão”), derrubou paredes da Ala Norte e destruiu móveis.

Há possibilidade de choques elétricos e o ICC deverá ser interditado nesta segunda-feira, de acordo com a Reitoria e prefeitura[bb]da UnB.
A seguir alguns vídeos do alagamento (coloquem o áudio no mute, pois houve saturação no som e ficou estranho):

Outro vídeo no youtube:

E mais este:

Não sei se há relação com a forte chuva, mas o site da UnB está fora do ar (www.unb.br). Update (11/04): Sim, há relação. CPD foi afetado.

Update 2 (11/04): UnBTV também foi afetada. Não há internet por lá, no momento.

Update 3 (11/04 13:30): Site da UnB e MatriculaWeb já voltaram a funcionar.

Veja mais neste link, ou sigam este twitter.

Vejam esta foto do subsolo

Os créditos dos vídeos estão no youtube. Crétidos da foto está no twitpic.

Update 4 (11/04 16:00):

  • Mais fotos e vídeos aqui neste outro blog.
  • Amanhã (12/04) as aulas também estão suspensas no ICC.
  • [.meuadsense]

    Arnaldo Vasconcellos




    Extra Extra Propina Roriz é flagrada recebendo Jaqueline!

    Será que estamos a ser trollados na política?

    A cara da propina ao receber jaqueline

    Off Topic: Mais uma para a série dos absurdos de Brasília… mesmo tendo chamado a Eurides Brito (também envolvida na propina do mensalão do DF) de cara-de-pau, Jaqueline também foi flagrada recebendo propina.

    Pois bem, propina não deveria andar com más companhias…

    Para quem não lembra, a Jaqueline Roriz é filha de Joaquim Roriz, que não pode mais ser eleito devido a processos de corrupção (e que tentou colocar sua esposa como candidata a governadora do DF, nas eleições passadas).

    É… ela está apenas cumprindo promessa de sua mamãe na época dos debates.. que iriam defender TODA aquela corrupção

    Acessem aqui para ler a notícia na íntegra.

    Ou veja aqui o vídeo porque essa família dá o que falar…

    Arnaldo Vasconcellos

     




    Como comprar um telescópio ou luneta

    Este breve artigo foi escrito para ajudá-lo na hora de comprar um telescópio ou uma luneta. O objetivo básico e evitar que, ao decidir comprar um destes equipamentos, você não seja induzido a levar, como diríamos… gato por lebre.[.meuadsense] Você decide comprar uma luneta ou um telescópio e começa a se deparar com vários lugares vendendo telescópios ultra-possantes que prometem aumento de 750x, ou mais. Daí você pensa; ótimo, comprarei um excelente produto.

    Errado. Muitos produtos que prometem aumentos enormes não são de boa qualidade e o aumento é teórico, baseado em um objeto que supostamente seria muito brilhante. Quem compra um telescópio deve ter em mente que todo equipamento têm características que limitam seu aumento; e deve ter outra coisa em mente: o aumento não é a característica mais importante.

    Para começo de conversa uma das características mais importantes é a abertura do telescópio. Quanto maior é a abertura, mais luz entra no telescópio e por sua vez irá melhorar a nitidez da imagem (resolução e luminosidade), a quantidade máxima de aumento, quais estrelas mais tênues você irá ver.

    Evidente que, “quanto maior a abertura do telescópio for” melhor, mas existe limites. O limite para um usuário amador é basicamente a portabilidade. Então devemos mesclar o tamanho da abertura com a nossa necessidade por tal abertura.

    Deixando de lado a questão da abertura do telescópio, uma propriedade que deve estar na mente de quem irá adquirir o telescópio é a qualidade dos materiais que a compõe e o tipo de telescópio (se refrator ou refletor).

    Os telescópios refratores são montados apenas com lentes. Uma lente objetiva (a da frente do telescópio) e a ocular (a que nós olhamos). Claro que existem lunetas terrestres com uma lente inversora, mas basicamente para um telescópio refrator é necessário uma objetiva e uma ocular; com distância focal diferentes. Lembrete: distância focal é a distância para que uma lente crie um foco num anteparo.

    Os telescópios[bb]refletores são feitos com espelho paraboloide ou esférico, como a objetiva, e possuem uma lente ocular; basicamente. Tornam telescópios com aberturas maiores com preços mais acessíveis e mais portáteis. Foi inventado por Isaac Newton (o modelo que ele criou é chamado de Newtoniano). Um telescópio refrator, a partir de uma determinada abertura torna-se pesado e caro, por causa da perfeição que a lente objetiva deve ser confeccionada; por isso a popularidade dos refletores.

    Existem também modelos mistos.

    Ao se adquirir um refrator, tenha em mente, por exemplo se as lentes, como a objetiva, é feita ou não de acrílico. Se for de acrílico a qualidade pode ser inferior que uma de material vítreo. Caso seja um refletor, procure saber com o fabricante de quanto em quanto tempo deverá limpar o espelho da objetiva e re-fazer a metalização (sim, nos telescópios refletores, a cada certo período, deve-se fazer esta manutenção).

    Voltando para o assunto das características dos telescópios, é importante conhecer cada uma; sabendo que a abertura do telescópio é como uma característica âncora para as outras que veremos abaixo. É bom saber para não sermos enganados ao decidirmos comprar um.

    • Aumento do telescópio

    A quantidade de vezes que um telescópio aumenta a imagem está relacionada com razão entre a distância focal da objetiva com a da ocular. Portanto uma objetiva com distância focal de 1200 mm e uma ocular de 10 mm, faz com que tenhamos um telescópio aumentando 120x a imagem do objeto observado.

    • Aumento máximo útil

    Imagine que a quantidade de luz que entra na objetiva do telescópio é a quantidade de informação que comporá uma imagem. É como numa antena parabólica – quanto maior for, mais onda você captará. Assim um telescópio qualquer tem um limite no aumento, baseado no tamanho da abertura de sua objetiva: podemos até aumentar a imagem dum objeto acima do aumento máximo útil, mas você perderá a nitidez da imagem. Por isso aqueles incríveis 750x de aumento são duvidosos.

    Para saber o aumento máximo útil você deve saber o tamanho da abertura da objetiva do telescópio (em milímetros) e multiplicar pela constante 2,5. Com isso você obterá o aumento máximo que aquele telescópio poderá fazer sem escurecer a imagem.

    • Luminosidade

    A luminosidade de um telescópio influencia na imagem final. É a quantidade de luz que o telescópio obtém. Esta é uma característica que pode estar até estampada no embrulho do telescópio. Fulano comprou um F 8 e ciclano comprou um F 9. Sabemos que fulano comprou, portanto, um telescópio mais luminoso que o de ciclano. Para calcular a luminosidade dividi-se a distância focal da objetiva (mm) pelo diâmetro (mm).

    • Poder separador

    [.meuadsense] O poder separador é medido em arcos de segundo. É basicamente a resolução que o seu telescópio pode proporcionar ao gerar uma imagem. Sabemos que quanto melhor for a resolução, melhor e mais detalhada a imagem será.

    Obtém dividindo a constante “120” pelo diâmetro em mm da objetiva. O resultado estárá em segundo de arco (estranhou essa nomenclatura? vem lá das aulas de trigonometria).

    • Magnitude limite

    A magnitude de uma estrela é o brilho que ela possui. Quanto maior for a magnitude, mas tênue é seu brilho. A magnitude é medida numa escala logarítmica. Isso significa que magnitude de 4 não é o dobro de 2. A escala é maior.

    Para ter uma noção, podemos, com boa visibilidade (sem poluição luminosa) e com céu limpo, ver estrelas até com magnitude 6 (que são aquelas mais fraquinhas que vemos).

    Para calcular a magnitude tire o log do diâmetro (em cm), multiplique por 5 e some com a constante 7,1. Pronto saberá a magnitude limite de seu aparelho.

    Pronto, sabendo destas características e como funciona basicamente um telescópio, você estará pronto para adquirir um sem que seja enganado por aí, seja com aumentos incríveis em telescópios com aberturas mínimas, ou com aparelhos de qualidade duvidosa.

    (1) Alguns sites que julgo importante visitar para complementar seu conhecimento:

    1. Observatório Phoenix
    2. Wikipédia
    3. Observatório UFMG
    4. Astroshop
    5. Telescópios astronômicos

    Arnaldo Vasconcellos




    Prêmio FCW 2010 – Fundação Conrado Wessel

    A Fundação Conrado Wessel tornou público o resultado do  9º Prêmio FCW Ciência e Cultura, que premia a produção científica e cultural no Brasil.

    • Ciência: Jairton Dupont (Instituto de Química, Departamento de Química Orgânica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS).
    • Medicina: Dra. Angelita Habr-Gama (professora titular de cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP)
    • Cultura: Nelson Pereira dos Santos (diretor de cinema).

    O prêmio será de R$ 300 mil, para cada vencedor. Os vencedores foram escolhidos por um júri de especialistas em cada segmento. Incluem no júri membros da FAPESP, CAPES, dentre outros. Mais informações em http://www.fcw.org.br

    Arnaldo Vasconcellos




    A ciência da culinária – Experimentos, ops, Receitas preferidas

    Receita de Crepe

    Pessoal irei iniciar algumas postagens com algumas receitas interessantes de se fazer. Porque sabemos que a culinária também tem muito da química e física (os processos de fritura, inversão de açúcar, cozimento de alimentos, associação de elementos no suco etc).

    A primeira receita que vou postar aqui é bem simples. A receita de crepe[bb].

    O crepe é um prato que é popular em muitas partes do mundo, embora tenha se tornado bem popular na França (de onde se fala crêpe) e é considerado um tipo de panqueca. (Mais informações, na nossa  querida Wikipédia).

    O crepe é uma massa fina e frita na frigideira, untada bem leve. Por ser uma massa tem bastante carboidratos.  Os carboidratos são compostos de carbono, oxigênio e hidrogênio e são fontes de energia para nosso corpo (nós precisamos muito deles, mas o excesso pode fazer mal, resultando em acúmulo de gordura). Mais sobre carboidratos aqui, aqui e aqui.

    Mas consumir o seu crepe, feito e consumido com parcimônia é tranquilo e não te dará problemas.

    Voltemos ao crepe. Os materiais para criar seu crepe são:

    • 1 1/4 xícara de leite
    • 1 xícara de farinha de trigo
    • 1 ovo grande
    • sal a gosto
    • Queijo mozarela ralado, para acrescentar no momento de rechear.

    [.meuadsense] Preparo da massa:

    Leve todos os ingredientes ao liquidificador e bata até não distinguir os ingredientes separadamente. Isso deve ser entre 30 a 40 segundos.

    Para fritar: unte levemente com óleo ou margarina (bem pouco) e deixe que ela esteja bem aquecida (dê preferência para frigideiras anti-aderentes). Com uma concha retire um pouco da massa e despeje uniformemente na frigideira aquecida. Depois de fritar um lado por 15 a 30 segundos, vire-a de lado e frite o outro lado. Após isto, acrescente o queijo, o recheio e dobre. Eu dobro como se fosse um pastel ou um taco. Deixe alguns segundos, vire, espere mais um pouco e sirva.

    Eu prefiro montar uma linha de produção todas as vezes que faço crepe: faço todas as massas e depois acrescento os recheios e os sirvo (bem quentinho). A família adora.

    O recheio:

    O seu recheio pode ser criado a vontade, mas geralmente tenho algumas combinações que faço: a vegetariana (minha esposa é ovo-lacto-vegetariana), a de atum, de frango, de nutella, e a de chocolate. Todos os recheios do crepe são com queijo mozarela. Pode inventar e colocar outros queijos, mas eu prefiro este. A maioria dos recheios só misturo o queijo na hora de por dentro do crepe, como mostrei nas etapas de fritar a massa; mas outros recheios posso por o queijo diretamente ao fazer o recheio – não há uma explicação razoável para isso, apenas que para mim facilita no processo de criação da minha “linha de produção”.

    Vegetariana

    • 2 tomates cortados em cubos pequenos
    • 1 cebola cortada em cubos
    • 1 pitada de sal (pequena quantidade)
    • um pouco de milho verde (se quiser)
    • se tiver palmito, coloque, vai ficar ótimo
    • Azeite extra-virgem ou margarina
    • Azeitonas, obviamente sem caroço. Fatiadas.
    • 1 pitada de tempero, pode ser cominho
    • Caso tenha cebolinha, use-a em pequenas fatias

    Refogue a cebola no azeite ou margarina, depois acrescente o tomate, a azeitona e o milho verde. Deixe um pouco no fogo. Acrescente o palmito e por fim a pitada de seu tempero e a cebolinha.

    Atum

    Faça a vegetariana, mas no lugar do milho ou palmito coloque atum. Se quiser a coisa bem densa e povoada, deixe o milho e o palmito. Vai ficar muito bom.

    Frango

    • Frango cozido e desfiado
    • 1 cebola cortada em cubos
    • 1 pitada de sal (pequena quantidade)
    • um pouco de milho verde (se quiser)
    • Azeitonas – opcional.
    • Azeite extra-virgem ou margarina
    • 1 pitada de cominho com pimenta do reino
    • Caso tenha cebolinha, use-a em pequenas fatias
    • Pode usar também o cheiro verde.
    • Queijo Mozarela.

    Refogue a cebola no azeite ou margarina. Adicione o frango desfiado. Coloque os temperos que lhe aprouver. Coloque um pouco do queijo agora, para deixar o frango bem grudado com o queijo. Recheie os crepes e sirva.

    Nutella

    • Nutella a gosto
    • Queijo

    Passe a pasta de chocolate com avelã no crepe ainda aberto e coloque o queijo. Feche-o e sirva.

    Chocolate[bb]

    • Chocolate que mais te agrada, a gosto e ralado.
    • Queijo
    • Bananas fatiadas.

    No crepe ainda aberto, coloque o queijo, as bananas e o chocolate. Feche, esquente os lados para derreter o queijo e o chocolate. Sirva.

    Bem pessoal, espero que façam o crepe. É uma delícia. E lembrem-se a culinária pode ser uma ciência também – e sua cozinha um laboratório: assim se errar a mão da primeira vez, tente outras vezes; garanto que o resultado é bom.

    Arnaldo Vasconcellos




    Opinião: As pataquadas de Weslian Roriz

    NOTA: Novamente saio dos tópicos de discussão sobre ciência, para ir à política; pela força dos acontecimentos políticos no qual estamos passando. Portanto, desculpem-me o artigo off topic que aqui desenvolvo (é um artigo de opinião). Assim, deixo devidamente avisado que o tema aqui desenvolvido foge ao tema do nosso blog, embora eu faça por causa de minha indignação com o rumo que estamos tomando em nossa política.

    Ontem, 28, foi debate, na Globo, dos candidatos a governador do Distrito Federal. E apesar do nervosismo e puxadas de tapetes de alguns candidatos, foi extremamente patente as atrapalhadas, a inexperiência e as pataquadas da sra Weslian Roriz.

    Weslian Roriz mostrou-se extretamente despreparada para pleitear o cargo de governadora do Distrito Federal, não prestava atenção nos temas de debate, não perguntava coisas pertinentes aos temas, apelava para conceitos errôneos (afirmou erradamente que o PT expulsou integrantes do partido que eram contra o aborto e que o candidato do PT já foi do PC do B, que em sua concepção cabresta e errada achava que era um partido de ateus; coisa que foi desmentida pelo próprio Agnelo e pelo candidato do PSOL, que já foi do PT).

    É realmente lamentável o quanto a nossa política chegou: uma pessoa que visivelmente não possui destreza para administrar o tempo do debate, que perdia a sua “cola” (feita provavelmente por assessores) na hora de debater, que não respondia as questões e que apela para o sentimentalismo para poder tentar continuar com a sede de Roriz em governar Brasília de qualquer forma (mesmo que já ficou tão patente o episódio de Roriz no Senado).

    Uma das cenas mais engraçadas, foi simplismente quando a sra Weslian afirmou sobre o tema corrupção: “quero defender toda aquela corrupção”, se referindo como seria se for eleita, para depois se corrigir (provavelmente com um assessor se rasgando de raiva). Estes seriam alguns dos motivos, pelo qual considero pessoalmente, que esta senhora simplesmente não é a pessoa certa para governar Brasília. Realmente seria muita falta de senso por uma pessoa como esta no governo do Distrito Federal (uma pessoa que está na política visivelmente para segurar a frustração de seu marido ter sido barrado até no TSE por ser considerado ficha suja e ter causado um empate no STF a respeito da aplicabilidade da lei ficha limpa neste ano).

    [meuadsense]

    Podes ver o debate completo e toda a palhaçada que desenrolou neste link (está dividido em blocos). Realmente um monte de pataquadas dignas de ser um circo.

    Abaixo algumas reportagens a respeito:

    É, isto é apenas um desabafo. Realmente é um absurdo o quanto o desejo de poder, de caráter puramente pessoal (o desejo de poder pelo poder, a ponto de por a mulher para concorrer, quando foi posto em xeque pela via jurídica) prejudica a nossa política. Um dos princípios da administração pública é a impessoalidade, o bem público. Claramente Roriz, com suas artimanhas para fugir tanto dada cassação (como foi no caso do Senado), como no impedimento de disputar as eleições (como foi no recurso ao STF por causa da decisão do TSE) é um claro e simples fato de que ele não tem em mente a impessoalidade, mas sim o desejo próprio, a ponto de tentar burlar o nosso processo eleitoral com manobras que chegam a causar momentos pífios como os supracitados acerca do debate.

    Arnaldo Vasconcellos.




    O dia que o STF parou!

    Sei que não é objetivo deste site falar sobre política. Também sempre me policiei para que os artigos, sempre que possível, fossem orientados aos assuntos centrais do blog, evitando o grande tema da política.

    Entretanto, com a força do acontecimento, não posso deixar de pronunciar-me a respeito das últimas revira-voltas da nossa política; e que gira em torno, também, de nossa querida Brasília.

    Sede do STF

    Sede do STF

    A história parece até uma grande novela: por iniciativa popular a lei da ficha limpa foi proposta, encaminhada para nossos legisladores, votada por eles, alterada, votada novamente e sancionada.

    Discussões acerca da aplicação (eficácia) da lei começaram a surgir. Alguns políticos foram barrados a disputar as eleições neste ano de 2010, e mais discussões acerca da inconstitucionalidade da lei foram firmadas.

    Acompanhei até um debate no programa “Debate MTV” com Lobão, de 01/06/2010, com o título “A lei da Ficha Limpa vai acabar em pizza?” (assista aqui) que teria citado tais problemas já em destaque.

    Seja como for, a lei começou a ser aplicada e alguns dos políticos foram barrados. Um deles teve pedido de impugnação de candidatura pelo Ministério Público. Eis o Joaquim Roriz.

    [meuadsense]

    Joaquim Roriz é um político muito conhecido em Brasília: nascido em Luziânia, na época em que o DF não existia, na época em que estas terras pertenciam à sua família a outras famílias  (como a de seu sogro).

    E numa obscessão absurda tornou-se governador do DF quatro vezes. Promoveu o crescimento em forma desordenada no Distrito Federal (criando situações de semi-urbanização, ou até a falta dela em outras) para aqueles que foram assentados.

    Foi protagonista dos notíciarios em 2007 quando foi acusado de usar recursos do BRB (“Banco de Brasília”) de forma indevida. E, para fugir da cassação, Roriz renunciou seu cargo de então Senador. O Ministério Público pede que o mesmo devolva cerca de 223 milhões.

    Roriz também é acusado por Arruda (ex-governador de Brasília, que foi flagrado no “mensalão” de Brasília; também ex-apadrianhado de Roriz) de ter pago propina em 2007 para fugir da acusação do escândalo do BRB.

    Querendo disputar mais um pleito de governador do DF, Roriz recorreu em várias instâncias da justiça, pois teria tido sua candidatura impugnada a pedido do MP. Sendo barrado pelo TRE, recorreu, passou pelo TSE (que negou sua candidatura) e chegou ao STF, onde seu recurso provocou debate da mais alta corte em relação não somente à aplicabilidade da lei ficha limpa, mas também a sua constitucionalidade. Assim a decisão do STF não seria (será, pois ainda está em aberto) apenas em relação a Roriz, mas também a todos aqueles políticos que foram barrados pela lei popularmente chamada de ficha limpa (Lei Complementar nº 135/2010).

    No STF, dia 22/09 o recurso de Joaquim Roriz estava a ser julgado, quanto à aplicabilidade da lei em seu caso. Quando o ministro (e relator do caso), Carlos Ayres Brito, votou a favor da aplicação da lei no caso de Roriz, o presidente Cézar Peluso paralizou o processo para atentar a questão da suposta inconstitucionalidade da ficha limpa, por ferir o processo legislativo. Pronto, criou uma divisão de pareceres entre os ministros e Dias Toffoli pediu vistas do recurso (suspendendo, então, o processo por um dia, a ser retomado no dia 23). Retomado no dia 23, os ministros votaram, portanto a aplicabilidade da lei. A decisão dos mesmos iria interferir em toda a esfera política.

    Como o ministro Eros Grau foi aposentado voluntariamente em agosto, a quantidade de ministros, que deveria ser de 11, estava em 10; podendo haver empate. Foi o que ocorreu. Cinco votaram contra a aplicação da lei neste ano e outros cinco votaram a favor.

    Dia 24/09, cerca de uma hora da manhã, ainda na sessão iniciada no dia 23, com o empate surgiu um impasse: ou o presidente do STF votaria novamente, previsto no regimento do STF, para desempatar (posição rejeitada pelo próprio presidente); ou manter a decisão do TSE, que embora seja um tribunal inferior ao STF é voltado para assuntos eleitorais; ou aguardar a nomeação de um novo ministro para que o STF, em sua plena formação, decida o caso.

    Para mim, um assumidamente leigo no assunto, acompanhando o desfecho por internet e pela TV Justiça, pareceu que o STF havia parado como uma máquina (PC) que trava num estouro de pilha; e o mais irônico nesta situação é que uma pessoa que está passando por processos por ser acusado de estar envolvido com desvio de dinheiro público, que tem dinheiro suficiente para bancar ótimos advogados que podem argumentar e ir ao fundo para interromper a ação (provocando uma discussão que chegou a alta corte da justiça), tenha interferido numa lei que resultou de uma vontade primária de melhorar nossa política. Não estou dizendo que devemos deixar de lado a presunção da inocência, mas o caso é irônico pois uma pessoa que possui dinheiro suficiente para pagar bons advogados (e que está a ser acusada pelo ministério público) interferir, para seu próprio proveito (de tentar candidatar-se a governador), a ponto de seu recurso interferir em toda a esfera política, é pra mim um grande absurdo:

    O absurdo reside no fato da lei, de cunho popular, que barrou não somente a Roriz, mas também a outros políticos que provavelmente praticaram atos contra aos princípios básicos, que são constitucionais, da administração pública (Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência), ser agora alvo da possibilidade de não ser aplicada neste ano. É irônico como isso tudo se apresenta: uma lei que visa a moralizar (mesmo que de uma forma não tão grande como alguns inicialmente esperavam) o processo eleitoral de nossa política, pode ter sua eficácia contestada neste ano, nestas eleições. Isso seria a vitória não só de uma pessoa fisgada pela lei da ficha limpa, mas seria a vitória de todos os políticos que foram barrados na mesma: seria a derrota de uma tentativa de moralização da política. Uma vitória do pessoal sobre o impessoal na vida pública.

    De qualquer forma, temendo a decisão do STF, que se reunirá provavelmente na quarta-feira (29/09), Roriz desistiu de sua candidatura, colocando, em seu lugar, sua esposa (que, pasmem, mesmo não tendo uma vida pública pregressa, foi a escolhida para sua substituição). A forma com que estas coisas se sucedem apenas mostra, pelo menos a mim mesmo, quanto parece que as ações de Roriz foram voltadas ao exclusivo interesse próprio: sua esposa, filiada em 30 de setembro do ano passado, mas sem experiência pública, foi cotada para ser sua substituta na candidatura, pelo simples fato de ser sua esposa – vejo aqui como o interesse pessoal fala bem alto nesta atitude. Atitude com motivação pessoal semelhante foi também praticada, ao meu ver, por Roriz em 2007, quando, simplesmente para impedir um processo de cassação (que iria suspender seus direitos políticos), ele renunciou o cargo no senado.

    Assim, concluo quanto acho absurdo que em nosso país o interesse pessoal ainda seja o grande motivador de nossa política, embora se requira que o impessoal prevaleça, para o bem de todos.

    Desta forma “o dia que o STF parou” é mais um trocadilho: seja o dia em que o empate provisório, com cara de “estouro de pilha” informático figurou no STF; seja o dia em que todos os políticos barrados pela ficha limpa poderiam ter um novo rumo, portanto pararam para observar o desfecho; seja o dia que em que nós, pessoas comuns, paramos para ver o quanto uma pessoa pode querer burlar justiça e ir com seus interesses pessoais contra a vontade do povo. Vontade esta de mobilizar uma possível e primeira arrancada na via da moralidade (mesmo que ainda de forma muito tênue). Moralidade essa tão requerida e desejada em nossa Constituição Federal.

    Arnaldo Vasconcellos




    Matrizes matemáticas – Parte 1

    O que são matrizes matemáticas?

    Quando paramos para pensar na palavra “matriz” o que nos vem em mente? Provavelmente para alguns a palavra associa-se a um filme de grande sucesso, Matrix, para outros se refere à uma sede principal de uma empresa, ou ainda, para outras pessoas, um componente que funciona como um carimbo.

    Por exemplo, na época dos discos de vinil, temos um procedimento de produção de LPs da seguinte forma: uma matriz, com as músicas já mixadas era criada para imprimir sulcos em diversas quantidades de centenas, ou talvez milhares, de cópias de LPs; assim como num carimbo.

    Um LP

    Um LP

    A própria idéia de carimbo ou de imprensa de tipos móveis (que já foi a tempo uma tecnologia de impressão de jornais); ou a ainda a noção de fotolito, uma tecnologia vigente para a produção de milhares de livros, com apenas os fotolitos que resultarão as páginas de tais livros, representam um dos significados da palavra matriz.

    Pois bem, uma matriz matemática é um aglomerado de informações dispostas num modelo em linhas x colunas. É em última instância uma tabela.

    [meuadsense]



    P J V E D GP GC SG %
    1 Corinthians 44 22 13 5 4 40 22 18 66,7
    2 Fluminense 42 23 12 6 5 40 24 16 60,9
    3 Cruzeiro 41 23 11 8 4 31 22 9 59,4
    4 Internacional 38 22 11 5 6 28 21 7 57,6
    5 Botafogo 38 23 10 8 5 36 26 10 55,1
    6 Santos 35 22 10 5 7 34 27 7 53
    7 Atlético-PR 34 23 10 4 9 28 32 -4 49,3
    8 São Paulo 31 23 8 7 8 30 30 0 44,9
    9 Ceará 30 23 7 9 7 19 20 -1 43,5
    10 Guarani 30 23 7 9 7 26 31 -5 43,5
    11 Grêmio 29 23 7 8 8 30 28 2 42
    12 Vasco 29 22 6 11 5 21 21 0 43,9
    13 Palmeiras 29 23 6 11 6 24 26 -2 42
    14 Vitória 28 23 6 10 7 28 31 -3 40,6
    15 Flamengo 27 23 6 9 8 21 23 -2 39,1
    16 Avaí 25 23 6 7 10 31 36 -5 36,2
    17 Atlético-MG 21 23 6 3 14 28 40 -12 30,4
    18 Goiás 21 23 5 6 12 24 40 -16 30,4
    19 Atlético-GO 20 23 5 5 13 27 35 -8 29
    20 Prudente 17 23 4 8 11 21 32 -11 29

    Tabela do campeonato brasileiro. Pode ser transformada numa grande matriz. Fonte: extraído do G1, http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/ em 21/09/10.

    A Matriz matemática, como uma tabela, também pode participar do conceito de matriz, como algo que gera; Matrice, Mater; uma matriz matemática é um conjunto de elementos ordenados em linhas x colunas: assim temos uma espécie de conjunto, cujos elementos são emoldurados por uma estrutura que é baseada na disposição dos índices linha e coluna (i x j). São como se fosse, portanto, “fôrmas” matemáticas.

    Esquema de uma matriz. Fonte: Wikipédia

    Esquema de uma matriz. Fonte da imagem: Wikipédia

    Uma matriz é identificada por uma letra em maiúscula e pode ser abreviada da seguinte forma:

    Matriz reduzida

    Cada elemento é identificado pelos índices de linha x coluna em que aparecem.

    Outro esquema de uma matriz, mostrando a identificação de elementos de acordo com seus índices m x n.

    Outro esquema de uma matriz, mostrando a identificação de elementos de acordo com seus índices m x n. Fonte da imagem: Wikipédia.

    A diagonal primária e a diagonal secundária

    Numa matriz possuímos diagonais, além das linhas e colunas.  São retas que passam a matriz diagonalmente. Abaixo temos esquemas de uma diagonal primária e uma secundária:

    Diagonal primária

    Diagonal primária

    Diagonal secundária

    Diagonal secundária

    Existem tipos diferentes de matrizes?

    Sim, possuem tipos diferentes de matrizes. Nesta artigo listaremos alguns tipos e subtipos de matrizes.

    Matriz linha

    Chamamos de matriz linha aquela que possui apenas uma linha.

    Matriz Linha

    Matriz Linha

    Matriz coluna

    A matriz coluna tem apenas uma coluna.

    Matriz Coluna

    Matriz Coluna

    Matriz quadrada

    Uma matriz quadrada possui o mesmo número de linhas e colunas.  Denomina-se ordem a quantidade de linhas ou coluna que ela possui.

    Matriz Quadrada

    Matriz Quadrada

    Matriz diagonal

    Subtipo de matriz quadrada: quando uma matriz quadrada possui apenas elementos não nulos (diferentes de zero) apenas em sua diagonal principal. Os outros elementos devem ser nulos.

    Matriz Diagonal

    Matriz Diagonal

    Matriz identidade

    Uma matriz diagonal que possui seus elementos na diagonal principal, todos, iguais a 1.

    Matriz Identidade

    Matriz Identidade

    Matrizes iguais

    Quando matrizes com mesmo número de linhas e colunas são colocadas diante uma igualdade. Significa que são de valores correspondentes.

    Matrizes Iguais

    Matrizes Iguais

    Matriz transposta

    Quando invertemos as linhas pelas colunas (e vice-versa) criamos uma matriz transposta. Abaixo um esquema representando as matrizes (a matriz transposta tem um “t” superior em seu nome).

    Matrizes Transpostas

    Matrizes Transpostas

    [meuadsense]

    Cálculo de elementos na matriz

    Vamos supor que temos um número “k”, se quisermos podemos multiplicá-lo pela matriz “A”. Assim teríamos “k.A”. Neste caso temos que multiplicá-lo com cada elemento da matriz.

    Assim:

    Multiplicando valor k por matriz A

    Multiplicando valor k por matriz A

    Também podemos fazer outras operações, como por exemplo calcular um elemento de acordo com a linha que pertence. Sabemos que a identificação de cada elemento é “Aij”, sendo “A” o elemento, “i” a sua linha e “j” a coluna. Agora vamos considerar que para calcular um determinado elemento tenhamos o seguinte comando “i+j * 2 + 5”.  Assim poderemos saber que elemento é este identificando a linha e a coluna em que ela está.

    Assim:

    Calculando elementos da matriz

    Calculando elementos da matriz

    No exemplo acima sabemos que “i+j * 2 + 5” está na primeira linha e terceira coluna. Assim o cálculo deste elemento fica em “1+3  * 2 +5”, que fica “1+6+5” que resulta em “12”. Já o elemento com j ao quadrado, como está na primeira coluna fica como “1 ao quadrado”, que dará “1”.

    Arnaldo Vasconcellos

    [meuuol]