Arquivo

Artigos relacionados com ‘Informática’
image_pdfimage_print

Matrizes Matemáticas – Parte 2

28, Setembro, 2010
Uma matriz quadrada

Uma matriz quadrada

Vimos no artigo anterior sobre “Matrizes Matemáticas” o conceito geral sobre matriz, o que é uma matriz matemática, algumas de suas características e alguns de seus tipos.

Agora continuaremos  a apresentação das matrizes matemáticas, algumas das operações que podemos fazer com as mesmas. CONTINUAR A LER

Educação, Gerais, Informática, Matemática , , , , ,

Seu celular, seu pequeno “computador”

28, Junho, 2010

Nunca fui muito aficcionado com celulares, mas tenho algum interesse na área. Dentro da normalidade.

Desde o meu Nokia 2280 com java, em meados de 2004, ansiava em poder ter no celular um aplicativo que fosse um planetário. No estilo starcalc, ou alphacentaure (softwares planetários).

Na época tinha montado recentemente um telescópio refrator, e pensei que poderia fazer do meu celular, que pouco usava como telefone, como um computador de mão, mesmo que super simplérrimo, para verificar a posição dos astros na esfera celeste.

Até então desconhecia qualquer software para celular, em Java, que pudesse fazer este serviço. Cogitei em escrever um, mas não tinha conhecimento em java e não tinha tempo: tinha outros projetos em mente e em execução. CONTINUAR A LER

Astronomia, Gerais, Informática , , , , , ,

Seu celular, seu pequeno "computador"

28, Junho, 2010

Nunca fui muito aficcionado com celulares, mas tenho algum interesse na área. Dentro da normalidade.

Desde o meu Nokia 2280 com java, em meados de 2004, ansiava em poder ter no celular um aplicativo que fosse um planetário. No estilo starcalc, ou alphacentaure (softwares planetários).

Na época tinha montado recentemente um telescópio refrator, e pensei que poderia fazer do meu celular, que pouco usava como telefone, como um computador de mão, mesmo que super simplérrimo, para verificar a posição dos astros na esfera celeste.

Até então desconhecia qualquer software para celular, em Java, que pudesse fazer este serviço. Cogitei em escrever um, mas não tinha conhecimento em java e não tinha tempo: tinha outros projetos em mente e em execução. CONTINUAR A LER

Astronomia, Gerais, Informática , , , , , ,

Pseudociências – Série de Ensaios (Parte #1)

5, Novembro, 2009

Nesta semana iniciarei uma série de ensaios a respeito das pseudociências. O que são exatamente as pseudociências? Suas relações com as protociências e o que podemos levantar a respeito das ativas de nosso tempo.

Bem, começamos a respeito delinear o que são exatamente pseudociências.

Em veículos populares, como a Wikipédia, encontramos a seguinte definição de pseudociência:

Uma pseudociência é qualquer tipo de informação que se diz ser baseada em factos científicos, ou mesmo como tendo um alto padrão de conhecimento, mas que não resulta da aplicação de métodos científicos.

Em sentido mais lato a pseudociência, diria eu, pode não ser apenas um tipo de informação, mas um conjunto deles (realizando uma doutrina, seja religiosa, cultural, sociológica ou filosófica) que queira se passar por um status de científica, sem adotar o método científico.

Carl Sagan, afirma que as pseudociências, por exemplo, muitas vezes tomam o lugar da ciência, o lugar da sublimidade e da admiração pelo conhecer o que desconhecemos (p. 20, O Mundo Assombrado pelos demônios). CONTINUAR A LER

Ciência, Epistemologia, Informática, Natureza, Teoria da Ciência , , , , , , ,

Do que a ciência se preocupa (Parte #6)

24, Julho, 2009

Na série “Do que a ciência se preocupa?” estamos experienciando detalhes sobre a ciência, um dos empreendimentos humanos mais bem sucedidos.

Neste sexto artigo gostaria de iniciar o desenvolvimento do que é “teoria”.

Será o que define algo como uma teoria? O que diferencia uma teoria científica de uma metafísica (devemos ter muito cuidado com esta última palavra).

Copérnico, criador da teoria heliocêntrica (Foto: Wikipédia)

Peguemos um comparativo para melhor estudarmos: Nicolau Copérnico desenvolveu a teoria do Heliocentrismo no qual o Sol é o centro do sistema solar.

A grosso modo, a teoria em questão, diz que o Sol seria o centro do sistema solar (entendido originalmente como centro do universo).

Ao analisarmos tal teoria temos pontos que são fundamentalmente falseadores – ou seja podem ser confrontado a observações e podem ser refutados ou corroborados. CONTINUAR A LER

Epistemologia, Ética, Filosofia, Gerais, Informática, Natureza, Teoria da Ciência, teoria do conhecimento, Universidade , , , , , , , , ,

Vírus no Linux?

1, Julho, 2009

Este artigo abaixo foi produzido originalmente para a Network Core Wiki. Reproduzo-a aqui na íntegra. Publicado originalmente em 07/12/2007.

Interface de uma distribuição Linux

Interface de uma distribuição Linux

Uma das grandes perguntas dos iniciantes, no uso de sistemas operacionais Linux, é se estes sofrem a ação dos vírus de computador.

Para responder essa questão devemos analisar alguns pontos importantes.

Vírus de Computador

O que seria bem um vírus de computador?
Numa consideração ”lato sensu”, ou seja, ampla, qualquer programa com função maliciosa é um vírus. Entretanto, numa visão mais técnica e ”strictu sensu”, os vírus são programas maliciosos que têm técnicas de reprodução, explorando falhas nos sistemas, de forma que possam se replicar para outros computadores.

Assim, um vírus que se envia por e-mail para toda a sua lista de endereços, ou aquele que se replica no pen-drive etc, são programas que exploram falhas no sistema e procuram se replicar de um computador para o outro, além de efetuarem os estragos a que estão programados. CONTINUAR A LER

Gerais, Informática, Off Topic , , , , , , ,

Dinossauro com características de papagaio

24, Junho, 2009

Rapidinha:

Psittacosaurus gobiensis

Psittacosaurus gobiensis

Análises mostraram que Psitacossauros possuem características alimentícias parecidas com a de papagaios e outras aves, além de sua característica morfológica mais óbvia: sua ossatura craniana que possue bico e indica um sistema muscular parecido com o das supracitadas aves.

Imagem demonstrativa entre um Dinossauro Psittacosaurus gobiensis e uma arara

Imagem demonstrativa entre um Dinossauro Psittacosaurus gobiensis e uma arara

O referido dinossauro foi estudado por Paul Sereno, Universidade de Chicago e descoberto em 2001 na Mongólia.
IN OFF: CONTINUAR A LER

Evolucionismo, Gerais, Informática, Natureza, Teoria da Ciência, Universidade , , , , , , ,

Microsoft e suas alegações

5, Março, 2009

Estes dias, navegando por noticiários antigos, deparei-me com algumas afirmações do então presidente da Microsoft da América Latina…

O mesmo afirma que software livre pode ser mais caro que um software comercial, para implantação. Com este argumento tenta nos levar a crer que é melhor investir em Microsoft.

Sim, como ele afirma pode ser mais caro. MAS ISTO É ALGO RELATIVO. A implantação e manutenção de softwares são de valores voláteis (o mesmo afirma que o custo do software é uma pequena parte do custo total, sim é verdade). Implantar um Windows ou pacote Office pode ser tão oneroso quanto outros softwares. O custo total (que é volátil) vai depender de qual software estamos implantando, a ESTABILIDADE DO SOFTWARE, pessoas competentes para mantê-lo.

Se repararem um pouco nesta linha de raciocínio veremos que a implantação de um software livre não está restrita a uma única empresa. Várias empresas podem fazer o mesmo serviço. Lei da oferta e da procura. Agora o que a Microsoft quer é monopolizar mercados, de forma que afirme ter a melhor solução.

Vamos pensar três casos básicos. Os exemplos são fictícios, assim como os valores (que são arbitrários), mas explicarão AS POSSIBILIDADES QUE ESTOU PENSANDO, ao dizer que este mercado é volátil.

1) Uma empresa vende sua licença em 10.000 reais para uma empresa de pequeno porte. Estes 10.000 já pagam o suporte e implantação.

2) Uma empresa resolve implantar softwares livres e paga 15.000 de suporte para o mesmo porte tecnológico da primeira. Pagará ainda 5.000 para treinamento de pessoal.

3) Uma empresa vende sua licença em 10.000 reais para uma empresa de pequeno porte. Estes 10.000 já pagam o suporte e implantação. A empresa que comprou nota que produto é instável. Investe mais 3.000 de softwares preventivos e corretivos. Passado mais 1 ano a empresa contratante resolve mudar de softwares… tendo que investir mais uns 10.000 em software concorrente.

Sim, a grosso modo parece que os custos de SL (softwares livres) serão maiores. Mas isto dependerá da empresa que for prestar os serviços e de qual SL irá ser adotado, além da forma que a empresa contratante irá implantar este sistema (será que tomará os devidos cuidados para que seja um investimento duradouro?; além do serviço prestado). Da mesma forma dentro dos SP (softwares proprietários) existem empresas concorrentes, entre si, que podem fornecer serviços diferentes e com qualidades diferentes.

Lembrem que o Windows não é exemplo de estabilidade, e dependendo da aplicação não será muito vantajoso mantê-lo. Apesar de sua popularidade, existem softwares mais eficazes (sejam SL ou SPs!).

Por isso eu digo que a afirmação do então presidente da Microsoft America Latina foi enganadora. Por que simplesmente este mercado é volátil e custos devem ser acompanhados de perto (até com a variável qualidade do software). E existem softwares livres com ótimas qualidades e que poderiam suprir necessidades de empresas, pessoas e tudo mais. É só uma questão de mainstream, de fashion de falso brilho, que algumas pessoas insistem em manter nos softwares da Microsoft.

Prediletar softwares livres, por parte de pessoas, empresas ou governos, não é necessariamente optar por soluções inferiores como alguns satirizam, mas sim manter a liberdade de escolha. E se posso escolher, porque não escolher o que há de melhor? Escolho softwares livres.

Ética, Informática , , ,

Antigos sites

2, Novembro, 2008

Para começo de conversa, para que ninguem mantenha-se perdido, comecei em meados de 2000 a editar algumas coisas em sites gratuitos. Mantinha um site pessoal. Passados oito anos, mudei de endereço na web umas duas vezes. Resultado: mantenho um site pessoal fora deste domínio, com conteúdos pre-históricos. Um blog no blogspot, além do site networkcore.eti.br (e seus respectivos subdomínios, como este aqui).

Para tanto comecei um projeto de transferência dos antigos sites. Os mesmos ainda continuarão existindo, mas este conterá o que os anteriores já possuem.

Gerais, Informática